SITES INTERESSANTES

Loading...

sábado, 26 de julho de 2014

O MESTRE SANTAYANA MAIS UMA VÊZ DÁ UM SHOW DE BOLA...NA SUA CRÔNICA RESPOSTA AO ARROGANTE PORTA-VOZ DO GOVERNO TERRORISTA DE ISRAEL QUE INSULTOU O BRASIL

SANTAYANA TRATA
DE CEGOS E ANÕES

Depois de apoiar o apartheid, Bibi quer uma Soweto em Gaza ? – PHA  Imprimir
A caminho de Soweto



O Conversa Afiada reproduz excelente artigo de Mauro Santayana:

DE CEGOS E DE ANÕES



Se não me engano, creio que foi em uma aldeia da Galícia que escutei, na década de 70, de camponês de baixíssima estatura, a história do cego e do anão que foram lançados, por um rei, dentro de um labirinto escuro e pejado de monstros. Apavorado, o cego, que não podia avançar sem a ajuda do outro, prometia-lhe sorte e fortuna, caso ficasse com ele, e, desesperado, começou a cantar árias para distraí-lo. 

O anão, ao ver que o barulho feito pelo cego iria atrair inevitavelmente as criaturas, e que o cego, ao cantar cada vez mais alto, se negava a ouvi-lo, escalou, com ajuda das mãos pequenas e das fortes pernas, uma parede, e, caminhando por cima dos muros, chegou, com a ajuda da luz da Lua, ao limite do labirinto, de onde saltou para  densa floresta, enquanto o cego, ao sentir que ele havia partido, o amaldiçoava em altos brados, sendo, por isso, rapidamente localizado e devorado pelos monstros que espreitavam do escuro.    

Ao final do relato, na taverna galega, meu interlocutor virou-se para mim, tomou um gole de vinho e, depois de limpar a boca com o braço do casaco, pontificou, sorrindo, referindo-se à sua altura: como ve usted, compañero… con el perdón de Dios y de los ciegos, aun prefiro, mil veces, ser enano… 

Lembrei-me do episódio — e da história — ao ler sobre a convocação do embaixador brasileiro em Telaviv para consultas, devido ao massacre em Gaza, e da resposta do governo israelense, qualificando o Brasil como irrelevante, do ponto de vista geopolítico, e acusando o nosso país de ser um “anão diplomático”.  

Chamar o Brasil de anão diplomático, no momento em que nosso país acaba de receber a imensa maioria dos chefes de Estado da América Latina, e os líderes de três das maiores potências espaciais e atômicas do planeta, além do presidente do país mais avançado da África, país com o qual Israel cooperava intimamente na época do Apartheid, mostra o grau de cegueira e de ignorância a que chegou Telaviv. 

O governo israelense não consegue mais enxergar além do próprio umbigo, que confunde com o microcosmo geopolítico que o cerca, impelido e dirigido pelo papel executado, como obediente cão de caça dos EUA no Oriente Médio. 

O que o impede de reconhecer a importância geopolítica brasileira, como fizeram milhões de pessoas, em todo o mundo, nos últimos dias, no contexto da criação do Banco do Brics e do Fundo de reservas do grupo, como primeiras instituições a se colocarem como alternativa ao FMI e ao Banco Mundial, é a mesma cegueira que não lhe permite ver o labirinto de morte e destruição em que se meteu Israel, no Oriente Médio, nas últimas décadas.  

Se quisessem sair do labirinto, os sionistas aprenderiam com o Brasil, país que tem profundos laços com os países árabes e uma das maiores colônias hebraicas do mundo, como se constrói a paz na diversidade, e o valor da busca pacífica da prosperidade na superação dos desafios, e da adversidade. 

O Brasil coordena, na América do Sul e na América Latina, numerosas instituições multilaterais. E coopera com os estados vizinhos — com os quais não tem conflitos políticos ou territoriais — em áreas como a infraestrutura, a saúde, o combate à pobreza. 

No máximo, em nossa condição de “anões irrelevantes”, o que poderíamos aprender com o governo israelense, no campo da diplomacia, é como nos isolarmos de todos os povos da nossa região e engordar, cegos pela raiva e pelo preconceito, o ódio visceral de nossos vizinhos — destruindo e ocupando suas casas, bombardeando e ferindo seus pais e avós, matando e mutilando as suas mães e esposas, explodindo a cabeça de seus filhos. 

Antes de criticar a diplomacia brasileira, o porta-voz da Chancelaria israelense, Yigal Palmor, deveria ler os livros de história para constatar que, se o Brasil fosse um país irrelevante, do ponto de vista diplomático, sua nação não existiria, já que o Brasil não apenas apoiou e coordenou como também presidiu, nas Nações Unidas, com Osvaldo Aranha, a criação do Estado de Israel.  

Talvez, assim, ele também descobrisse por quais razões o país que disse ser irrelevante foi o único da América Latina a enviar milhares de soldados à Europa para combater os genocidas   nazistas; comanda órgãos como a OMC e a FAO; bloqueou, com os BRICS, a intervenção da Europa e dos Estados Unidos na Síria, defendida por Israel, condenou, com eles, a destruição do Iraque e da Líbia; obteve o primeiro compromisso sério do Irã, na questão nuclear; abre, todos os anos, com o discurso de seu máximo representante, a Assembleia Geral da Nações Unidas; e porque — como lembrou o ministro Luiz Alberto Figueiredo, em sua réplica — somos uma das únicas 11 nações do mundo que possuem relações diplomáticas, sem exceção – e sem problemas – com todos os membros da ONU.

Clique aqui para ler “Mino: quantos palestinos Israel quer eliminar ?”.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

UM ESTADO TERRORISTA CHAMADO ISRAEL



Israel se isola e agride o Brasil

Por Altamiro Borges

A ofensiva militar de Israel em Gaza, que já assassinou mais de 800 palestinos – inclusive crianças, mulheres e idosos –, tem gerado forte repulsa no mundo todo. Várias nações já criticaram a insana escalada de violência e até a ONU, sempre tão dócil, implorou pelo fim do genocídio de civis. Isolados internacionalmente, os arrogantes sionistas partem para o belicismo também no campo diplomático. Diante da postura soberana do Itamaraty, que condenou “o uso desproporcional de força”, o porta-voz de Israel escancarou a pequenez deste Estado terrorista. Em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo – que não esconde as suas simpatias no “conflito” –, Yagal Palmor rotulou o Brasil de “anão diplomático”.

Desonesto e provocador, ele ainda ironizou: “A resposta de Israel é perfeitamente proporcional. Isso não é futebol. No futebol, quando um jogo termina em empate, você acha proporcional, e quando é 7 a 1 é desproporcional. Mas não é assim na vida real e sob a lei internacional... A única razão por não termos centenas de mortos nas ruas de Israel é termos desenvolvido um sistema antimíssil. E não vamos nos desculpar por isso”. Ele nada falou sobre a “desproporção” das mortes no “conflito” nem sobre o assassinato de crianças, anciãos e mulheres palestinos. O falsário não deixou nada a dever aos nazistas nas suas justificativas mentirosas sobre holocausto contra os judeus!

A resposta brasileira, porém, não tardou. O ministro Luiz Alberto Figueiredo reafirmou o conteúdo da nota e ainda desnudou as mentiras. “Nós temos plena consciência do direito que Israel tem de se defender. Não é isso que está em jogo. O que está em jogo é a proporcionalidade. Porque ao fazê-lo com a morte de número alto de crianças, mulheres e idosos, isso, sim, nos parece desproporcional”. Sobre o rótulo de “anão”, ele cutucou: “O Brasil não usa termos que desqualifiquem governos de países amigos. Portanto, eu não tenho como comentar isso. Posso dizer que o Brasil é um dos 11 países do mundo que têm relações diplomáticas com todos os membros das ONU. E quando falamos somos ouvidos”.

Dando sequência à postura ativa e altiva implantada no Ministério das Relações Exteriores desde o início do governo Lula, o Itamaraty adotou até agora três posições diante deste genocídio. Na quarta-feira (23), o Brasil votou na Comissão de Direitos Humanos da ONU a favor da investigação sobre a ocorrência de crimes de guerra em Gaza. Na sequência, o Itamaraty divulgou a nota em que condenou “o uso desproporcional da força”. Por último, o governo chamou de volta a Brasília, para consultas, o embaixador brasileiro em Tel-Aviv. A postura criminosa e arrogante de Israel e seu crescente isolamento mundial talvez até justifiquem atitudes ainda mais duras, como a adoção do embargo comercial e militar a este Estado terrorista.

O POLÊMICO LAURO ADOLFO DENUNCIA SEU EX-PATRÃO E O CHEFÃO POLÍTICO DA QUADRILHA...O DEPUTADO FISIOLÓGICO PROFISSIONAL JOSÉ CARLOS ARAÚJO DO PSD DE KASSAB. COMO JÁ SE SABE, O DENUNCIANTE (LAURO ADOLFO) NÃO DÁ PONTO SEM NÓ E; DE ANJO NÃO TEM NEM MESMO A APARÊNCIA. OUTRORA DEFENSOR FERRENHO DO PREFEITO, HOJE, É SUA NEMESIS MAIS VIRULENTA; ENTRE O BATALHÃO DE INIMIGOS DE OCASIÃO QUE O ATUAL GESTOR DE MORRO DO CHAPÉU VEM ACUMULANDO, DESDE QUE CAIU EM DESGRAÇA. O BLOG MORRO NOTÍCIAS SEM CENSURA TEM MOSTRADO COM ISENÇÃO ESSA GALERIA DE PERSONAGENS MACABROS E, SUA INFLUÊNCIA NEFASTA SOBRE A NOSSA SOFRIDA TERRA. POBRE MORRO DO CHAPÉU...ESCAPA DA MÃO DE UMA QUADRILHA; MAS, INVARIAVELMENTE, CAI NA MÃO DE OUTRA...AINDA MAIS CLEPTÔMANA QUE A ANTERIOR.


 A terra dos foguetórios e das liminares poderá ser sacudida novamente por um São João fora de época.  Refiro-me ao processo de cassação do prefeito Cleová Barreto e seu vice Felipe Soares Rocha determinado pela juíza Eleitoral da Comarca de Morro do Chapéu, Dra. Ivonete de Souza Araújo quando se marcou a posse de Leo Rebouças Dourado Lima e sua vice Francisca Neide para o dia 10 próximo passado. Imediatamente os advogados do prefeito entraram com uma petição ao TRE solicitando uma liminar com efeito suspensivo para impedir a diplomação e posse do adversário até que se faça a apreciação e julgamento definitivo do processo, no que foram atendidos.
O TRE, seguindo os trâmites legais, enviou um ofício à Dra. Ivonete solicitando a anulação ou confirmação da sentença de cassação do prefeito Cleová Barreto. A juíza sem titubear, enviou a documentação ao TRE confirmando a cassação do prefeito e de seu vice com base nas investigações levadas a termo pelo Ministério Público Eleitoral quando se constatou a Captação de Ilícita de Recursos Para Fins de Campanha Eleitoral.
Mas por que o deputado José Carlos Araújo insiste em dizer que a juíza errou nesse processo e que deveria anula-lo? Analisando cuidadosamente as considerações da Dra. Ivonete publicadas no Diário da Justiça Eleitoral de 4 de julho de 2014, nos deparamos com o julgamento de dois processos: uma AIJE (Ação de Investigação Judicial Eleitoral)  movido pelo candidato da Coligação Mudar para Renovar, Leonardo Rebouças Dourado Lima e uma Representação Por Captação Ilícita de Recursos Para Fins de Campanha Eleitoral movido pelo Ministério Público Eleitoral de Morro do Chapéu. Os dois processos foram juntados e julgados simultaneamente.
O processo movido por Leonardo Rebouças Dourado Lima foi rejeitado visto que não atendia aos requisitos legais numa ação desse caso, ou seja, só os partidos políticos que compõem a coligação é que podem entrar com um recurso eleitoral e não o candidato. E depois a AIJE já tinha ultrapassado os prazos legais requeridos.
Não foi caso da Representação apresentada pelo Ministério Público Eleitoral, julgado procedente e que ensejou a cassação do prefeito. Os advogados da Coligação União, Trabalho e Desenvolvimento que apoiou a candidatura do prefeito Cleová Barreto questionaram a legalidade da participação do Ministério Público nesse processo. A Dra. Ivonete de Souza Araújo julgou procedente a participação do Ministério Público Eleitoral com base no parecer do ministro relator Joaquim Barbosa publicado no Diário da Justiça de 16.03.2009 que diz: “O Ministério Público Eleitoral é parte legítima para propor ação de investigação judicial com base no art. 30-A (TSE: RO no 1596/MG).
É bom destacar que durante muitos anos o Ministério Público Eleitoral foi impedido de mover ações judiciais de cunho eleitoral por conta de um juiz que indeferia todas as suas demandas. Agora finalmente encontra respaldo no poder judiciário resultando então no acatamento de suas denúncias, ensejando a primeira cassação de um prefeito de Morro do Chapéu que se tem notícia.
Passemos então a analisar as denuncias apresentadas por Leonardo Rebouças Dourado Lima e que foram investigadas e acatadas pelo Ministério Público Eleitoral. Na liminar concedida pelo juiz relator Fábio Alexandre Costa Bastos, diz o mesmo: “alega, ainda, que a causa de pedir da mencionada Representação, “em sua maioria”, já foi rechaçada por esse Tribunal...” Em sua maioria” quer dizer que ainda está faltando algumas demandas para serem julgadas. O juiz relator concedeu a liminar com base em argumentos frágeis apresentados pelos advogados do prefeito, a exemplo deste: “Os Representados (prefeito e vice) asseveraram que as irregularidades apontadas pelo Ministério Público eleitoral, não passavam de vícios formais inidôneas para ensejar a cassação do diploma, além disso concluíram que o dano eventualmente causado não interferiu nos resultados das eleições”.  Distorcer as palavras, denegrir a imagem do acusador, debochar de sua competência e outras manobras é parte do arsenal doa advogados. Cabe ao juiz se aceita ou não suas considerações. Não tendo como se defender das acusações do Ministério Público, os advogados se saíram com o argumento de que tudo não passou de “vícios formais e erros de digitação”.
Talvez estejam se referindo ao recibo no valor de R$ 2.000,00 celebrando um contrato por prestação de serviços por parte de Saulo Oliveira Souza e o valor do contrato R$ 24.000,00 conforme cópia microfilmada do cheque no  650041 onde aponta que foi efetivamente descontado o valor ali apontado.  A juíza faz suas considerações onde diz textualmente que tal transação não pode ser considerada simples vício formal. E reitera: “Em que pese ter descontado o aludido cheque, os documentos que instruem os autos comprovam que do montante  de R$ 24.000,00 Saulo Oliveira Souza recebeu apenas a quantia informada no recibo, menos de 10% do total do valor  constante no título de crédito, sendo que sobre o restante do dinheiro, mas de vinte mil reais não há esclarecimentos acerca de sua destinação”.
E depois tem uma transação com a MF Transportadora, empresa contratada pela prefeitura que faz o recolhimento do lixo e alocou 5 veículos á mesma para a campanha eleitoral do prefeito Cleová Barreto eivada de irregularidades. São tantas que pode se dizer que foi justamente isso que ensejou a cassação do prefeito.
Daremos todos os detalhes no próximo artigo.
(Por Lauro Adolfo/morronoticiassemcensura)

Juíza Eleitoral remete processo ao TRE e confirma cassação do prefeito - Parte II



Em seu despacho quando acatou as denúncias do Ministério Público Eleitoral ensejando a cassação do prefeito Cleová Olivera Barreto e seu vice, a juíza Dra. Ivonete de Souza Araújo (nada a ver com o deputado), preliminarmente fez as seguintes considerações a respeito das irregularidades encontradas nos veículos cedidos à prefeitura para uso na campanha eleitoral. Vale a pena transcrever na íntegra:
“Ademais as irregularidades envolvendo os veículos utilizados na campanha, merecem censura à altura de uma Nação que elegeu a democracia como forma de governo e estabeleceu seus fundamentos sob o império do Direito, reconhecendo a higidez do mandato como consectário lógico da condução da campanha, prestigiando, assim, a ética e a legalidade do pleito.
Nesse sentido, as provas dos autos evidenciam veementemente a atuação dos representados (Prefeito e vice) em total menoscabo à legislação eleitoral, denotando que a campanha foi conduzida em afronta à sistemática ético-jurídica construída ao longo da nossa recente democracia, objetivando a reeleição dos representados a qualquer custo, olvidando-se, com essa atuação, princípios caros ao ordenamento jurídico, como o da legalidade e da moralidade, senão vejamos:
Os representados inicialmente informaram à Justiça Eleitoral que a Transportadora MF Ltda cedeu 05 (cinco) veículos modelo GOL Geração IV, ano 2012, placas OKM 0161, OKM 5370, OKL 6431, OKL 5271 e OKL 8837, todavia, verificou-se que os três últimos automóveis estavam licenciados em nome da empresária unipessoal Jerlane Bezerra Coelho Costa Ltda, inscrito no CNPJ sob o no 09.097.918/0001-75.
Ao esbarrarem na exigência de que os bens cedidos devem integrar o patrimônio do doador, resolveram retificar as declarações anteriormente prestadas, e passaram a sustentar que os veículos haviam sido cedidos por Jerlane Bezerra Coelho Costa Ltda.
Não satisfeitos, ao perceberam que a cessão dos veículos era completamente estranha ao ramo de atividade econômica de Jerlane  Bezerra Coelho Costa Ltda;”comércio varejista de artigos de vestuários e acessórios”, alteraram novamente a versão apresentada, nesta última, a Transportadora foi outra vez apontada como doadora, não obstante o disposto no artigo 23, parágrafo único da Resolução no 23.376/2012, in verbis:
Os bens e/ou serviço estimáveis em dinheiro doados por pessoas físicas a candidatos, devem constituir produto de seu próprio serviço, de suas atividades econômicas e, no caso dos bens permanentes, deverão integrar o patrimônio do doador.
Na contestação, os representados confessaram a ilegalidade praticada, cujo trecho embora longo, é digno de transcrição:
“Dessa forma, buscando sanar e corrigir a pseudo-irregularidade apontada no Relatório Preliminar do processo de Prestação de Contas, como se bem constata na documentação carreada aos autos de prestação de contas, por ocasião de apresentação de retificadora, inclusive em resposta as diligencias para as quais fora intimado os réus, a equipe técnica/contábil responsável pela elaboração, escrituração e contabilização das referidas contas, acharam por bem em substituir o contrato de cessão de uso dos veículos da Transportadora MF Ltda para a pessoa física de Jerlane Bezzera Coelho Costa, sob a falsa convicção de que a questão estava solucionada. Ledo engano! A emenda saiu pior que o soneto!! Imprescindível se fez que tal equívoco seja corrigido, inclusive na busca inarredável de que a verdade seja restabelecida, pois deixando-se de lado a esdrúxula tentativa levada a cabo pela equipe técnica/contábil que assessorou os réus na prestação de contas, o certo e inafastável é quem celebrou o contrato para cessão dos veículos para os réus fora a empresa Transportadora  MF Ltda, cuja substituição do contrato para a pessoa física de Jerlane Bezerra Coelho Costa, deu-se exclusivamente por falha cometida pelos assessores dos réus, na vã tentativa de afastar a pseudo-irregularidade apontada pelo Relatório Preliminar do processo de Prestação de Contas, qual seja a impossibilidade da pessoa jurídica constituída no ano eleitoral efetuar doação a candidato, sob a interpretação restritiva do artigo parágrafo único, do artigo 23, da resolução 23.376, somado a falsa premissa de que os veículos a serem cedidos deveriam obrigatoriamente estarem registrado em nome do cedente.” – grifos originais.     
Primeiramente, é oportuno sublinhar que os representados confessaram a apresentação de documento com conteúdo falso à Justiça Eleitoral, o que se adequa em tese à figura típica descrita no artigo 350 do Código Eleitoral.
“Art. 350 – Omitir em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, para fins eleitorais.
Pena- reclusão de até cinco anos e pagamento de 6 a 15 dias-multa, se o documento é público, e reclusão de até três anos e pagamento de 3 a 10 dias-multa se o documento é particular.
Somada à prática criminosa, restou frustrada a tentativa de mascarar a doação espúria.
Nota do editor – Observem que os advogados do prefeito reconhecem  a “impossibilidade da pessoa jurídica constituída em ano eleitoral efetuar doação a candidato.” E que empresa foi constituída em ano eleitoral e fez doação ao candidato à reeleição? A MF Transportadora Ltda. No próximo artigo iremos transcrever na íntegra como foi essa maracutaia.  
Postado por

  • morronoticiassemcensura.blogspot.com/2014/07/o-rato-estao...
    2014-07-04 · EX-PREFEITOS DE MORRO DO CHAPÉU Edigar Dourado (quarto à direita) e Aliomar Rocha. ... foi celebrado acordo entre o ex-prefeito e o FNDE, ...
  • morronoticiassemcensura.blogspot.com.br/2012/06/o-crime-organizado...
    Edigar Dourado e Aliomar Rocha na lista de ex-gestores com contas reprovadas pelo TCU. ... Eser Rocha; o ex-prefeito de Cafarnaum, Evilásio dos Santos Brasil, ...
  • morronoticiassemcensura.blogspot.co.uk
    ... EDIGAR DOURADOALIOMAR ROCHA E MAIS UMA MEIA DÚZIA ... Na última semana Erico Sampaio juntamente com Aliomar da Rocha ex-prefeito de Morro do …
  • GRUPO I – CLASSE I – Primeira Câmara

    www.tcu.gov.br/Consultas/Juris/Docs/judoc/Acord/20110321/A… · DOC file · Web view
    AUSÊNCIA DE NEXO DE CAUSALIDADE ENTRE PARTE DOS RECURSOS RECEBIDOS EAS ... contra o Sr. Edigar Dourado Lima, ex-prefeito do ... gestor Aliomar da Rocha ...
  • DEPUTADO FISIOLÓGICO PROFISSIONAL DONO DA RÁDIO LARANJA BRILHANTE FM JOSÉ CARLOS ARAÚJO... ESTÁ (AGORA MESMO) SENDO DESMASCARADO PELO EX-PREFEITO ALIOMAR ROCHA

    BOMBA! BOMBA!...

    EX-PREFEITO DE 
    MORRO DO CHAPÉU ALIOMAR ROCHA ESTÁ ESTRAÇALHANDO O DEPUTADO FISIOLÓGICO PROFISSIONAL JOSÉ CARLOS ARAÚJO, NO POPULAR PROGRAMA 'DÊ A SUA NOTA' DA RÁDIO COMUNITÁRIA DIAMANTINA FM. VOLTAREMOS  MAIS TARDE ....PORQUE O HOMI FALOU SEM PAPA NA LÍNGUA

    O DEPUTADO ZÉ CARAMUJO (PSD DE KASSAB) E O ATUAL PREFEITO CLEOVÁ BARRETO FORAM MASSACRADOS PELO EX-PREFEITO ALIOMAR...NA FOTO À ESQUERDA DO CIDADÃO DE VERMELHO.

    O BRASIL AVANÇA NO CAMINHO CERTO GRAÇAS À GESTÃO PROGRESSISTA DOS GOVERNOS LULA-DILMA...APESAR DE AINDA NOS FALTAR MUITO PARA CHEGAR AO NÍVEL DE PAÍSES COMO A NORUEGA

    UM DOS MAIORES NOMES DA NAÇÃO NORDESTINA NOS DEIXA: VAI EM PAZ ARIANO SUASSUNA

    Ariano Suassuna se vai

    Jornal GGN – A tarde deste dia 23 de julho trouxe a triste notícia: morreu Ariano Suassuna. O escritor sofreu um AVC (acidente vascular cerebral) no dia 21, foi operado e entrou em coma induzido. Hoje à tarde não resistiu. Sua saúde já estava frágil desde o ano passado, quando sofreu um infarto e, logo depois, um aneurisma cerebral.
    Ariano Suassuna nasceu , em João Pessoa, na Paraíba e morou no Recife (PE) uma vida inteira. De sua lavra, obras inesquecíveis como O Auto da Compadecida, peça teatral que se tornou cinematográfica, e também o romance como A Pedra do Reino e O Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta.
    Indo para o Recife, em 1942, concluiu os estudos secundários e iniciou, em 1946, a Faculdade de Direito, onde conheceu Hermilio Borba Filho, parceiro na criação do Teatro do Estudante de Pernambuco e do Teatro Popular do Nordeste.
    Conciliou carreira de escritor com a advocacia, resolvendo largar esta última para se tornar professor na Universidade Federal de Pernambuco.
    Foi a cabeça por trás do Movimento Armorial, que propunha a criação de arte erudita a partir de elementos da cultura popular nordestina. Teve várias de suas obras traduzidas para o inglês, francês, espanhol, alemão, holandês, italiano e polonês.
    É membro da Academia Pernambucana de Letras, da Academia Paraibana de Letras e da Academia Brasileira de Letras.
    Foi muito para a cultura brasileira. E, para homenageá-lo, nada melhor que deixá-lo falar. É um bálsamo para a alma saber que sua obra permanece e frutificará sempre.

    12 comentário(s)

    Comentários


    _Eu apelo pra justiça. _E eu pra misericórdia.

    • Valha-me Nossa Senhora, Mãe de Deus de Nazaré! A vaca mansa dá leite, a braba dá quando quer. A mansa dá sossegada, a braba levanta o pé. Já fui barco, fui navio, mas hoje sou escaler. Já fui menino, fui homem, só me falta ser mulher. Valha-me. Nossa Senhora, Mãe de Deus de Nazaré.
    • Jesus às vezes se disfarça de mendigo pra testar a bondade dos homens.
    • Desse jeito o inferno vai terminar igual uma repartição pública. Existe, mas não funciona.
    • Bife passado na manteiga pra cachorra e fome pra João Grilo!





    Não troco meu óxente pelo ok de ninguém!!

    O que disse o grande Ariano!!!



    quinta-feira, 24 de julho de 2014

    PARA A ELITE PÓdre: TUDO É PÓssível