sexta-feira, 29 de junho de 2012

PARAGUAI: DOIS SÉCULOS DE GOLPES...E A HISTÓRIA DE UM POVO HERÓICO. O LADO POSITIVO (se assim podemos dizer) DESSE ÚLTIMO GOLPE FASCISTA CONTRA ESSA NAÇÃO IRMÃ; foi\é a entrada da Venezuela como MEMBRO PLENO DO MERCOSUL. O Senado Paraguaio que fazia o papel de LARANJA dos interesses GRINGOS...JÁ NÃO É MAIS UM OBSTÁCULO. Eventualmente, num futuro próximo, OS IRMÃOS PARAGUAIOS TERÃO A SUA DEMOCRACIA DE VOLTA...e retornarão ao Mercosul; agora ainda MAIS FORTALECIDOS... com a aceitação plena da irmã república Bolivariana.

Paraguay, dos siglos de golpes
FÉLIX LÓPEZ

Pareciera que una maldición histórica gravita sobre los paraguayos: más de dos siglos recibiendo golpes... Y el primero y el último de ellos, vaya coincidencia, están relacionados con la Iglesia y los imperios. En 1767 la Compañía de Jesús fue expulsada de esas tierras, cuando la corona española descubrió que los jesuitas sembraban las primeras semillas de un ideal que hoy nombramos socialismo. En el 2012 un golpe oligarca separa del poder a un exobispo de izquierda, presidente incómodo a los intereses imperiales en Sudamérica.

Fernando Lugo sabía perfectamente que podía correr la misma suerte de aquellos jesuitas. Salvando distancias, estaba repitiendo la misma fórmula de las reducciones: incentivar en el pueblo un sentimiento de independencia, convirtiendo el trabajo, la solidaridad y la igualdad en el centro de la vida. Así nació en 1609 el pueblo San Ignacio Guasú, y pronto le siguieron otras cuarenta fundaciones situadas en torno a los ríos Paraná, Uruguay y Tape. Tras un frío cálculo político, el monarca Carlos III dio el golpe a los jesuitas, expulsando a quienes enseñaron al pueblo el derecho a la insurrección.

EL GOLPE DE LA TRIPLE ALIANZA (1865-1870)

La guerra de la Triple Alianza contra Paraguay fue tan desmedida que los países protagonistas prefieren no hablar del tema. Y sobran las teorías sobre los motivos del conflicto, pero la mayoría de ellas apunta a los intereses del imperio británico en la región.

Las acciones bélicas entre Brasil y Paraguay comenzaron a finales de 1864. A partir de 1865, con la incorporación de Argentina y Uruguay al conflicto, ya puede hablarse de la Guerra de la Triple Alianza. Hasta esta fecha, Paraguay se erguía como una excepción en América Latina: la única nación que el capital extranjero no había deformado. No existían grandes fortunas privadas, hambrientos ni mendigos. La economía creció en los gobiernos de Carlos Antonio López y su hijo Francisco Solano López.

En 1865, cuando se escucharon los tambores de la guerra, Paraguay contaba con una línea de telégrafos, un ferrocarril y una buena cantidad de fábricas de materiales de construcción, tejidos, lienzos, ponchos, papel y tinta, loza y pólvora. La fundición de Ybycuí producía cañones, morteros y balas de todos los calibres. A pesar de no tener salida al mar, el país contaba con una flota mercante, que lucía el pabellón paraguayo a lo largo del río Paraná y más allá.

Para los imperialistas todo aquello era una herejía. Molestaba, además, el celoso proteccionismo sobre la industria nacional y el mercado interno. Los ríos interiores no estaban abiertos a las naves británicas que bombardeaban con manufacturas de Manchester y de Liverpool a todo el resto de América Latina. El comercio inglés no disimulaba su inquietud. La sólida experiencia de resistencia nacional paraguaya podía contagiar a los vecinos.

No es casual que la prensa rioplatense, desde entonces en manos de la oligarquía, llamara abiertamente al magnicidio contra Solano López. En abril de 1865, el Standard, diario inglés de Buenos Aires, celebraba la declaración de guerra de Argentina contra Paraguay. Para los británicos, los ejércitos de la alianza tomarían Asunción en tres meses... , pero la guerra duró cinco años. Y más que una guerra fue una carnicería. No calcularon que Solano López encarnaría heroicamente la voluntad nacional de sobrevivir y mucho menos que el pueblo paraguayo se inmolaría a su lado.

¿Cuál fue el balance de las pérdidas? Solo 250 mil paraguayos, menos de la sexta parte de su población, sobrevivió a la guerra. Los vencedores, arruinados por el altísimo costo del crimen, quedaban en manos de los banqueros ingleses que financiaron la aventura. Brasil se anexaba más de 60 mil kilómetros cuadrados. La Argentina se quedó con 94 mil kilómetros cuadrados de tierra paraguaya. Uruguay participó de la guerra como socio menor y sin recompensas.

GOLPE DE LAS PETROLERAS EN EL CHACO (1932)

Otra historia de cómo los intereses transnacionales llevaron a Paraguay a la guerra: corría 1932 y la Standard Oil de New Jersey (asentada en Bolivia) y la empresa anglo-holandesa Royal Dutch Shell (en territorio paraguayo) promovieron el sangriento conflicto que se conoce como la Guerra del Chaco. Durante tres años Bolivia y Paraguay se enfrentaron por el control de un extenso territorio árido y despoblado. ¿Su valor estratégico? Una salida al Océano Atlántico.

Bolivia ya había perdido el acceso al mar durante la Guerra del Pacífico (1879). Ahora quería ganar el control sobre el río Paraguay, que desemboca al Atlántico. El descubrimiento de yacimientos petrolíferos en la pre-cordillera andina alimentaba la hipótesis de que el Chaco albergaría también importantes reservas. Se inició así la primera guerra moderna en la historia de Latinoamérica: un enorme despliegue de material bélico y municiones que no tiene comparación con ningún otro conflicto en la región, ni siquiera con la guerra de Malvinas de 1982.

Unos 250 mil soldados bolivianos y 150 mil paraguayos se enfrentaron por el control del Chaco. Más fuerte que las balas fueron la malaria y otras enfermedades. Los dos países quedaron arruinados por la guerra. El 12 de junio de 1935 fue declarado un cese de hostilidades. Pero la lucha por el control de los pozos petroleros se extendió hasta el 21 de julio de 1938, cuando el canciller argentino Carlos Saavedra Lamas, Premio Nobel de la Paz de 1936, medió brillantemente entre las dos partes en pugna.

Años después de la guerra del Chaco, se probaron las implicaciones de la diplomacia norteamericana, moviendo los hilos tras la confrontación. Según el economista e historiador argentino Mario Rapoport, el embajador estadounidense en Buenos Aires, Spruille Braden, estaba relacionado directamente con la creación de la Standard Oil of Bolivia, ya que parte de los territorios de la compañía, fundada en 1921, pertenecían a William Braden, su padre... En resumen: dos pueblos hermanos se fueron a las armas, azuzados por el interés imperialista de apoderarse de un petróleo que no le pertenece.

EL GOLPE DE ALFREDO STROESSNER (1954)

¿Ha escuchado usted hablar del dictador Alfredo Stroessner? En 1954 fue ascendido a general de división y en el mes de mayo del mismo año el gobierno de Estados Unidos lo eligió para comandar el golpe de Estado que depuso a Federico Chávez. Y desde entonces se quedó en la presidencia a sus anchas. Fue "reelecto" en ocho periodos, en fraudulentas elecciones donde él era candidato único: 1958, 1963, 1968, 1973, 1978, 1983 y 1988.

Como pago a sus mentores del norte, Stroessner sancionó en 1955 una ley que establecía un trato aún más privilegiado al capital extranjero. Las empresas estadounidenses fueron las principales beneficiadas por la medida y comenzaron a controlar casi por completo la política, la agricultura y las finanzas del país. De la represión se encargaría el "presidente".

Para sorpresa de muchos, en la madrugada del 3 de febrero de 1989, Andrés Rodríguez Pedotti derrocó mediante un golpe de Estado a Alfredo Stroessner, quien probó de su propia "medicina". Rodríguez asumió el gobierno provisional, con el respaldo de la iglesia católica y del gobierno de Estados Unidos. El nuevo presidente encarceló al dictador, aunque pocos días después lo envió a un exilio dorado en Brasilia. Al fin y al cabo, Stroessner era su consuegro y socio comercial¼ Tres meses después del golpe, Rodríguez convocó a elecciones generales y ganó por un estrecho margen.

EL GOLPE AVISADO A FERNANDO LUGO

En el 2008, a solo 18 días de asumir la presidencia de Paraguay, Fernando Lugo denunció públicamente la conjura planeada por el exmandatario Nicanor León Duarte y el general retirado Lino Oviedo, para sacarlo del Gobierno a la fuerza. Era una temprana señal o advertencia de que existían gorilas dispuestos a revivir las experiencias de las décadas de los sesenta y setenta. Tras cuatro años de intentos, los golpistas paraguayos —expresión concentrada de la oligarquía y del sistema stronista— consumaron el plan.

Lugo fue expulsado de la presidencia a través de un golpe express con disfraz "constitucional". Bajo las seguras instrucciones de estrategas gringos, con un relativo éxito en su ensayo hondureño, el parlamento paraguayo (plagado de personajes de dudosas capacidades y casi nulas virtudes) orquestó el ridículo juicio político al presidente Lugo. Bien lo definió el embajador venezolano ante la OEA, Roy Chadertón, cuando los calificó como una manada de dinosaurios a la desbandada.

Ahora, ¿por qué el golpe contra Lugo? Para el intelectual argentino Mempo Giardinelli, "aún tímidamente, y no sin contradicciones y retrocesos, el Gobierno de Lugo viene significando un cambio más que interesante para el pueblo paraguayo, sometido por décadas a dictaduras atroces y a una violencia contumaz. Y acaso por eso mismo, por los pocos y tímidos cambios que ha realizado, es que se le quiere derrocar. Los golpistas buscan abatir al Gobierno democrático por sus virtudes, no por sus defectos".

Lugo, hombre de voz propia, que no escondió sus simpatías por los procesos de integración e intentó gobernar con el pueblo y no con la clase política, se convirtió en un presidente peligroso. El golpe, en esencia, no es solo contra Lugo. Es también un golpe a la necesaria reforma agraria en un país donde el 2 % de los propietarios detenta el 80 % de la tierra. Es un golpe a las masas campesinas y populares que habían puesto sus esperanzas en Lugo y ahora intentan resistir el regreso anunciado del "stronismo".

Lo ocurrido y lo que está por verse en Paraguay da pena ajena. La oligarquía golpista festeja su botín. El Partido Colorado, que especula alegremente con la memoria de los héroes, ostenta al pie de su acta de fundación la firma de 22 traidores al mariscal Solano López, "legionarios" al servicio de las tropas extranjeras de ocupación... Son esos mismos traidores de la historia paraguaya los que han regresado al Gobierno. Al pueblo guaraní le sobran motivos para seguir luchando.

HOJE É UM GRANDE DIA PARA OS POVOS LIVRES DA AMÉRICA LATINA: OS IRMÃOS VENEZUELANOS FORAM ACEITOS DE FORMA PLENA NO MERCOSUR. O IMPERIALISMO IANQUE, E, A BURGUESIA LACAIA REGIONAL QUE SEGUE CEGAMENTE AS SUAS ORDENS: FORAM FINALMENTE DERROTADOS.

Chávez: ingreso de Venezuela al Mercosur es una derrota al imperialismo y la burguesía lacaya
Caracas, 29 Jun. AVN.- "Es un día histórico y hay que celebrar este día de hoy 29 de junio, día para la historia de la integración y de la ética. Es un ejemplo de política y ética para los enclaves autoritarios que aún quedan en América Latina, que son herederos de las dictaduras de las extremas derechas", expresó este viernes el presidente de la República, Hugo Chávez Frías, en celebración del ingreso de Venezuela como miembro pleno al Mercado Común del Sur (Mercosur).
En un contacto telefónico con Telesur, el Jefe de Estado venezolano dijo que este día es para conmemorarlo y celebrarlo.
Destacó que esa decisión es una derrota para el imperialismo norteamericano y las burguesías lacayas de la región, entre ellas la de Venezuela que, junto con la de Paraguay, hizo lo imposible para evitar la inclusión de Venezuela en el referido bloque regional.
La entrada de Venezuela como miembro pleno al Mercosur tendrá un impacto en lo social, económico y geopolítoco, así como en el fortalecimiento de la integración latinoamericana y de la propia instancia regional.
Subrayó que la aprobación también se traduce en un ganar para todos los países que conforman la instancia regional.
"Es un ganar para todos. La ganancia es la integración y el fortalecimiento del Mercosur que había entrado en un proceso de debilitamiento peligro", manifestó el Jefe de Estado.
Este viernes, los países que integran el Mercosur aprobaron el ingreso de Venezuela como miembro pleno del organismo regional.
Asimismo, acordaron convocar a una reunión especial a los fines de la admisión oficial de Venezuela al Mercosur, para el día 31 del julio próximo en Río de Janeiro, Brasil.
Igualmente, decidieron convocar a todos los países de América del Sur para que en el complejo escenario internacional actual se unan para lograr que el proceso de crecimiento en inclusión social, protagonizado en la última década en la región, se profundice y actúe como factor de estabilidad económica y social en un ambiente de plena vigencia de la democracia en el continente.
AVN 29/06/2012 15:10

DIA HISTÓRICO PARA OS AMANTES DA PAZ, PROSPERIDADE E SOLIDARIEDADE ENTRE OS POVOS.
Poder Popular
Chávez: Venezuela está ocupando un lugar que sabrá dignificar
Caracas, 29 Jun. AVN.- "Venezuela está ocupando ahora un lugar que sabrá dignificar para seguir fortaleciendo la unidad de Suramérica, en este caso el espacio de Mercosur", expresó el presidente de la República, Hugo Chávez Frías, en un contacto telefónico con Telesur.
El bloque económico suramericano "va desde las islas Malvinas argentinas, desde la Patagonia hasta los límites con Cuba, medio Caribe ahora es del Mercosur", dijo el Jefe de Estado.
Este viernes los países que integran Mercosur aprobaron el ingreso de Venezuela como miembro pleno del organismo regional.
"Es un día histórico y hay que celebrar este día de hoy 29 de junio, día para la historia de la integración y de la ética. Es un ejemplo de política y ética para los enclaves autoritarios que aún quedan en América Latina, que son herederos de las dictaduras de las extremas derechas", expresó el Presidente.
AVN 29/06/2012 15:29

Apesar de contar entre os seus líderes com "homens santos" do quilate do OPUSdeiANUS CASTRATO PAPANAZI RATZINGER, O PILANTRA-MOR SILAS MALAFEIA e cia ilta: a religião, as novelas da gloBBBaboseiras, o futebol e o carnaval... ainda continuam sendo o OPIUM DO POVO Brasileiro.

Nordeste e Sul são últimos 'bastiões' católicos do Brasil



Atualizado em 29 de junho, 2012 - 10:11 (Brasília) 13:11 GMT

Papa Bento 16 | Crédito da foto: Getty images
Mais de 70% da população das regiões Nordeste e Sul professam o catolicismo, diz IBGE.
O Nordeste e o Sul do Brasil são as únicas regiões onde a parcela da população católica ainda não caiu para um patamar inferior a 70%, registrando uma redução mais lenta do que no resto do país na última década.
O Censo 2010, divulgado pelo IBGE, confirmou a tendência de queda do contingente católico no Brasil, que baixou para 64,6% da população, e o aumento dos evangélicos, que hoje representam 22,2%.
Os resultados da pesquisa sobre o perfil religioso brasileiro, divulgados nesta sexta-feira, revelam que as regiões com a menor proporção de católicos no Brasil são o Sudeste e o Centro-Oeste, ambos com 59,5% de sua população autodeclarada católica.
Já no Nordeste e no Sul, a proporção de católicos é de 72,2% e 70,1%, respectivamente, a maior taxa do país, como ocorria no censo de 2000.
Por trás desses números estão não só questões da fé, como também fatores sociais, econômicos e históricos da sociedade brasileira.
O aumento da população evangélica, por exemplo, acompanha a expansão da fronteira agrícola, evidenciando a influência de deslocamentos populacionais no fenômeno.
"A mudança se dá no processo migratório", afirma o cientista político Cesar Romero Jacob, professor da PUC-Rio. "O crescimento das igrejas evangélicas se dá basicamente na fronteira agrícola e mineral do país e nas favelas e municípios de regiões metropolitanas. O que há em comum entre esses dois elementos? Os migrantes", ressalta ele.
Jacob desenvolveu a pesquisa "Atlas da Filiação Religiosa" com base nos dados do censo de 2000.
Ele considera que a chegada de migrantes a periferias metropolitanas geram uma concentração de população em regiões onde há ausência tanto do estado quanto da Igreja Católica, " que não tem agilidade para deslocar padres e paróquias".
"Mas há as necessidades espirituais dos imigrantes e a presença dos evangélicos, que são mais ágeis. Essa combinação abre espaço para as pessoas aderirem a novas propostas religiosas", afirma Jacob.
Culto evangélico | Foto: Júlia Dias Carneiro/BBC Brasil
Segundo Censo 2010, ramo evangélico é o que mais cresce no Brasil.
Para o pesquisador, as rupturas que ocorrem no processo migratório, onde pessoas se desenraízam de suas comunidades, geram uma abertura para mudar de religião.
O mesmo não ocorre em populações mais estabelecidas, seja nos grandes centros urbanos ou no interior rural.
"A tendência é as pessoas continuarem seguindo a mesma religião com a qual cresceram", diz.
Assim, o catolicismo continua mais solidamente implantado nas regiões de origem, e não de destino, de migrantes - como o interior do Nordeste e de Minas Gerais - e também em uma área extensa no Sul colonizada por comunidades católicas italianas.
De uma maneira geral, o contingente católico continua mais forte em áreas rurais, com 78% da população; outros 15% são evangélicos.
Já em áreas urbanas, 62% dos brasileiros são adeptos do catolicismo, enquanto 23,5% são evangélicos.
Os dados do censo mostram a evolução dos fiéis brasileiros desde 1872, quando a filiação à religião católica apostólica romana ainda era oficial no país, algo que perdurou até a Constituição da República de 1891.
No primeiro século de estado laico brasileiro, a mudança não foi grande: a proporção de católicos, que era de quase 100% nos tempos de Dom Pedro II, caiu para 91,8% em 1970.
Foi a partir de 1980 que a queda se acentuou, com o número de católicos baixando quase 10 pontos percentuais por década até o patamar atual de 64,6%.
"Acho que esse movimento ainda vai continuar por algum tempo", considera o jornalista Luiz Paulo Horta.
"Mas depois deve se estabilizar e pode até gerar alguma reação católica", acredita ele, autor de "A Bíblia: um diário de leitura" (Editora Zahar) e imortal da Academia Brasileira de Letras.
Assim como Jacob, Horta considera os aspectos sociológicos associados a essa mudança.

Destaques do Censo 2010 sobre o perfil religioso no Brasil

Católicos: Continuam sendo a maioria da população, mas baixaram de 73,6% em 2000 para 64,6% em 2010, ou 123 milhões de pessoas.

Evangélicos: A população evangélica foi a que mais cresceu. Os fiéis passaram de 15,4% em 2000 para 22,2%, ganhando 16 milhões de adeptos. O Brasil tem hoje 42,3 milhões de evangélicos.

Espíritas: O grupo aumentou de 1,3% para 2% na década, passando a abranger 3,8 milhões de brasileiros.

Sem religião: O número dos que se declararam sem religião cresceu de 7,4% para 8%, um aumento inferior ao registrado nas décadas anteriores. Em 1980, apenas 1,9% dos brasileiros se diziam sem religião.

Ascensão e queda: A igreja que mais ganhou adeptos entre 2000 e 2010 foi a Assembleia de Deus, que passou de 8,4 milhões para 12,3 milhões de fiéis. Já a Igreja Universal do Reino de Deus perdeu quase 300 mil adeptos, passando de 2,1 milhões para 1,8 milhões.

Escolaridade: O ensino fundamental incompleto é mais comum entre os católicos (40%), os sem religião (39%) e os evangélicos pentecostais (42%). A menor proporção está entre os espíritas (15%), entre o nível superior completo é mais frequente (31,5%).

Dados do Censo 2010 do IBGE
Ele aponta para fatores como a movimentação demográfica e a criação de "bolsões de pessoas socialmente deslocadas" em cidades grandes ou médias, deslocadas de seus ambientes originais. E carentes de um senso de comunidade que os evangélicos foram mais ágeis em proporcionar.
"A Igreja Católica já sentiu o golpe. Está levando essa pancada e acho que pode ter efeitos positivos, porque pode passar a trabalhar com coisas mais autênticas e deixar de ser uma afiliação tão tradicional", diz.
Esta "sacudida" pode contribuir para tornar a igreja menos formal com o tempo, como já se vê com os padres carismáticos que, aponta Horta, fazem parte do processo de buscar uma linguagem nova.
Mas o declínio do peso do catolicismo na sociedade brasileira é de certa forma uma consequência de sua hegemonia no passado e está relacionado ao maior secularismo da sociedade atual, onde a religião ocupa um espaço menor do que no passado.
"Uma palavra-chave hoje é o pluralismo", diz Horta. Você tem mil ideias novas, cultos religiosos orientais, e as pessoas se sentem mais abertas para escolher de um cardápio variado."
Os resultados do censo também refletem essa pluralidade, com mais adeptos do espiritismo (hoje 2% da população brasileira); mais pessoas que afirmaram seguir "outras religiosidades" (2,7%); e um maior número de pessoas sem religião (8%). Dentre estes, pela primeira vez, o censo especificou o número de ateus no país, que chega hoje a 615 mil.

Ao lado, brinquedinho de MILHÕES DE DÓLARES de propriedade do safado acima.

Comentário da nossa Crítica Sartorial Maria das Graças Guimarães: "Acima, vemos a 'MULEKA SAPEKA' PAPAFRUTA RATAZINGA. Vestidíssima a rigor...de anáguas de renda branca provinientes da Ilha da Madeira,  sapatilhas vermelhas GUCCI, e FOULARD Hermès combinando. O que diria JESUS CRISTO, desses dois PILANTRAS?"

quinta-feira, 28 de junho de 2012

'MUÇÃO' É PRESO POR SUSPEITA DE FAZER PARTE DE UMA REDE MUNDIAL DE PEDOFILIA NA INTERNET. Conhecido em todo o Nordeste pelas suas pegadinhas e piadas depreciativas sobre a comunidade LGBT, MUÇÃO: finalmente foi DESMASCARADO pelos FEDERAIS. Esperamos, que esses NOBRES HOMENS E MULHERES DA LEI; investiguem também algumas figurinhas carimbadas; aqui em Morro do Chapéu. GENTE SEM-VERGONHA E HIPÓCRITA: tem que ser é desmascarada mesmo! Porisso, essa gentalha FALSOS MORALISTAS DE FIBRA MORAL FRACA: DEVE FICAR MUITO ATENTA.



Preso por pedofilia, Mução faz sucesso no Nordeste

• Quinta-feira, 28 de junho de 2012 - 18h42
Acima, desenho de Mução: personagem criado pelo humorista Rodrigo Vieira Emerenciano faz grande sucesso no Nordeste

São Paulo - O radialista de maior audiência no Nordeste brasileiro, Mução (Rodrigo Vieira Emerenciano), foi preso nesta quinta-feira pela Polícia Federal (PF), no bairro Meireles, em Fortaleza, durante a Operação DirtyNet, que investiga uma rede internacional de pornografia infantil.

Mução, que nasceu em Natal, teve longa passagem pelo Rádio de Recife (PE) - dez anos -, tinha voltado para Fortaleza há três meses, de onde apresentava pela Rádio Cidade FM para uma rede de mais de cem emissoras nordestinas um programa de pegadinhas ("A Hora do Mução"), líder de audiência no Ibope, no horário das cinco às seis da tarde. Nesta quinta-feira, "A Hora do Mução" permaneceu no ar, porém foi apresentada uma reprise.
Com Mução foram apreendidos tablets, notebooks, HDs, CDs e DVDs que o envolvem com a rede de prostituição investigada pela PF.

Ele é suspeito de compartilhar arquivos com cenas de menores em contexto de abuso sexual. O material apreendido na casa de Mução passa por um perícia especializada para a elaboração de um relatório nos próximos dias aos investigadores da PF.

Caso o crime de pedofilia for comprovado nos equipamentos apreendidos com Mução, ele permanecerá preso em Fortaleza. Caso contrário será encaminhado para Recife.

Mução começou sua carreira na Rede de Rádio SomZoomSat de Fortaleza, no final dos anos 1990. Em 2002 ele foi para Recife, onde apresentou seu programa até março passado. Há três meses tinha voltado a residir em Fortaleza, de onde comandava "A Hora do Mução", a partir da Cidade FM.

Famoso por suas pegadinhas por telefone, onde apresentava os quadros em seu programa de rádio, Mução chegou a lançar três CDs com suas principais peças feitas combinadas com os ouvintes. Também no seu programa criou bordões que ficaram conhecidos em todo Nordeste. Destaque para "Respeita a Polícia".. Ainda em seu programa fazia valer um acervo de "provérbios" que chamava de "Fuleirosofia".

Mução é filho da ex-secretária da Receita Federal (2008-2009), Lina Maria Vieira. Ela se envolveu em um episódio com a hoje presidenta Dilma Rousseff, em julho de 2009, quando Dilma era ministra chefe da Casa Civil do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lina foi exonerada pelo presidente Lula após dizer ter testemunhado que Dilma teria solicitado agilização para livrar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), de um processo na Receita Federal. A explicação dada na época para exoneração de Lina foi a multa aplicada pela Receita à Petrobras.



Senador Defensor da "ÈTICA, DA MORAL, E DOS BONS COSTUMES (dos outros; é claro!) José Agripino Maia (que é também  conhecido em Natal como a esfuziante GALEGA DO ALECRIM), é amicíssimo da família de MUÇÃO, e, era quem incitava a Mãe do acusado (Lina Vieira) a BAGUNÇAR O CORETO para DERRUBAR A GESTÃO PETISTA, durante um dos vários escândalos artificiais MADE IN VEJA; contra o PRESIDENTE LULA...e a então Ministra da Casa Civil DILMA ROUSSEF. O mesmo (Agripino Maia), a detesta (a Presidenta Dilma)...ao ponto de fazer piadinhas sobre a sua CORAGEM E DIGNIDADE;  nas sessões de TORTURA DURANTE A DITADURA MILITAR. Para quem ainda não sabe, o Senador Agripino Maia foi\é um dos FILHOTES DA DITADURA que mais ''SE DEU BEM'' (juntamente com o finado Toinho Malvadeza); pelos serviços prestados aos MILICOS...DURANTE OS ANOS DE CHUMBO. 


 

BICICLETAS PROTAGONIZAM FOTOS DE AVENTURA E VIAGEM.

BICICLETA  VOADORA NO INTERIOR DE SÃO PAULOFoto: Denis Canina

Vale do Paty na CHAPADA DIAMANTINAFoto: Alberto Fernandes Passos

Foto: André Rafael Herzer
AMSTERDAM COM SEUS CANAIS E SUAS OMNIPRESENTES BICICLETAS.

CAMPEÃO DOS CAMPEÕES!

MOTIVO DE ORGULHO: DENTRO E FORA DO BRASIL.

EXEMPLOS QUE OS NOSSOS ''ARIANOS'' DE ARAQUE DEVERIAM SEGUIR.

 
Eurocopa: Jogadores filhos de imigrantes podem servir de exemplo, acredita secretário da reparação
Ailton Ferreira, secretário da Semur | Foto: José Marques / Bahia Notícias
Nações que defendiam regimes autoritários de extrema-direita até os anos 1940, Alemanha e Itália se enfrentam pela semifinal da Eurocopa nesta quinta (28), às 15h45. Suas seleções vivem, hoje, um momento de maior integração racial. Do lado germânico, jogadores de origem ganesa, polonesa, espanhola, tunisiana e turca formam a geração que deve chegar como uma das favoritas à Copa de 2014 no Brasil, mas a primeira convocação de um jogador negro só aconteceu em 2001, quando o atacante Gerald Asamoah, então com 22 anos, foi chamado pelo treinador Rudolf Völler. Para o secretário municipal da reparação (Semur) em Salvador, Ailton Ferreira, há um simbolismo muito grande na miscigenação de equipes europeias. “Toda vez que alguém que pertence a um grupo descriminado consegue alcançar um espaço elevado é positivo, porque mostra para muitos, especialmente para as crianças, que essas pessoas são capazes. As crianças negras não estão acostumadas a serem heroínas, e isso [presença de jogadores negros em grandes equipes] tem um significado, assim como o piloto de Fórmula 1 [Lewis Hamilton, vencedor da temporada 2008], isso é importante para o processo de afirmação de identidade e auto-estima da criança negra”, diz Ailton.


Balotelli foi vítima de racismo na Eurocopa | Foto: Getty Images

A “Azzurra”, como é conhecida a seleção italiana, tem como titular um jogador que para muitos é o símbolo da luta contra o racismo no futebol. Filho de ganeses, o atacante Mario Balotelli nasceu em Palermo, na Itália, e foi adotado por uma família ítalo-judaica. Negro e judeu, o atleta foi vítima de discriminação na partida contra a Croácia, pela segunda rodada da Eurocopa, quando torcedores do time eslavo atiraram bananas no gramado de Ponzan, na Polônia, há duas semanas. Ailton Ferreira garantiu que tais atitudes não devem acontecer no Brasil. “Vamos lançar o observatório racial da Copa, para identificarmos atitudes racistas, como se referir a atletas como ‘macaquitos’ e jogar bananas. Receberemos bem os estrangeiros e queremos ser bem tratados também”, afirmou. O vencedor do duelo entre Alemanha e Itália garante vaga para participar da Copa das Confederações, torneio que acontecerá no Brasil no ano que vem e que reunirá seleções de todos os continentes para testar alguns estádios da Copa do Mundo de 2014, inclusive a Arena Fonte Nova. Como a Espanha já estava garantida para o torneio por ter vencido a última Copa do Mundo, em 2010, o outro finalista ficará com a vaga.

9o Caju Nordeste será realizado em Picos



 

9º Caju Nordeste será realizado em Picos com apoio da Codevas

Com apoio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), acontece, de 28 de junho a 1º de julho, na cidade de Picos (PI), o 9º Caju Nordeste. O evento é um seminário técnico realizado anualmente em polos produtores de caju situados na região Nordeste do Brasil, com o objetivo de contribuir com a organização, a modernização e o desenvolvimento da cadeia produtiva da cajucultura. O tema central é “Empreendedorismo na cajucultura – tecnologias inovadoras, diversificação e expansão da cadeia produtiva”.

Além de ser um dos promotores do evento, a Codevasf participa com um estande institucional, de 9m x 12m, onde serão divulgados os projetos e programas desenvolvidos pela empresa em sua área de atuação, com destaque para os Arranjos Produtivos Locais (APLs) apoiados pela Companhia, dentre elas a cajucultura. Além de cajucultores piauienses, a Codevasf viabiliza a participação de produtores de associações e cooperativas de outros estados, como Bahia, Alagoas e Pernambuco, que irão expor produtos elaborados do pseudofruto e da castanha - como doces, polpa e outros. No estande estarão também presentes produtos da agricultura irrigada, como uvas produzidas no projeto Marrecas, implantado pela Codevasf em São João do Piauí, e material de divulgação do programa Água para Todos, dentre outras ações.
O estande da Companhia será uma vitrine das ações de apoio ao desenvolvimento da cajucultura na área de atuação da empresa. Diante do potencial de produção de caju no Piauí, que ocupa o segundo lugar no cenário nacional, a empresa elaborou o Programa de Fortalecimento da Cajucultura no Estado do Piauí, tendo já executado diversas ações nos últimos dez anos, atendendo a cerca de 120 municípios e beneficiando 21 mil famílias. Os recursos envolvidos são da ordem de R$ 16,7 milhões. Segundo o diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas, José Augusto de Carvalho Gonçalves Nunes, “o estado do Piauí apresenta um grande potencial para o desenvolvimento da cajucultura. Desenvolver ações desta natureza reforçam a preocupação da empresa em apoiar projetos sustentáveis que considerem as vocações regionais”.
Dentre as ações destacam-se a implantação de um jardim clonal para o cajueiro anão precoce no Assentamento Marrecas, em São João do Piauí; elaboração do Plano Tático para a cajucultura no estado do Piauí e do perfil socioeconômico da Cajucultura dos Cooperados da Cocajupi (Central de Cooperativas de Cajucultores do Piauí); estruturação de uma unidade de beneficiamento de castanha e pseudofruto na região norte do estado, atendendo o município de Castelo do Piauí, e o cadastro, análise e seleção de produtores com posterior fornecimento de clones superiores, tendo sido distribuídas cerca de 7 milhões de mudas, envolvendo uma área plantada de 32 mil hectares.
Atualmente, a Codevasf tem contrato com uma consultoria para elaboração de um Plano de Gestão Sustentável da Cajucultura no estado do Piauí, com recursos da ordem de R$ 135 mil. O governo do estado do Piauí, prefeituras municipais, associações de produtores e entidades ligadas ao setor são parceiros nessas iniciativas.
APOIO DECISIVO
As ações da Codevasf, juntamente com outras desenvolvidas por órgãos públicos e pela iniciativa privada, vêm influenciando diretamente o crescimento da atividade no Piauí, o que pode ser visualizado por indicadores recentes, como área colhida (71 mil hectares), produção de castanha (31 mil toneladas ao ano) e um significativo e crescente aproveitamento do pedúnculo do caju. Para Antônio Aurino Nunes Guimarães, presidente da Associação dos Cajucultores da Região de Picos (Coopercaju), a atuação da empresa no segmento da cajucultura tem sido decisiva para o aumento da produção.
A Codevasf tem feito um trabalho muito importante para a nossa região e para todo o estado do Piauí, principalmente no apoio à distribuição de mudas de caju enxertado (caju anão precoce). Esse trabalho tem dado uma resposta muita positiva. Por exemplo, estamos atravessando uma estiagem considerada a maior dos últimos 50 anos e a produção de caju tem sido muito pouca, cerca de 10 a 20%. Os cajueiros que estão produzindo são justamente os enxertados, como resultado desse trabalho da Codevasf”, explica.
Ainda segundo Guimarães, a região de Santo Antonio de Lisboa, uma das maiores produtoras de caju no Piauí, conta atualmente com nove fábricas de beneficiamento. “Consideramos que esse é um dos grandes resultados: a geração de emprego e renda no campo. Além disso, destaca-se a atração de investidores, que buscam matéria-prima e mão-de-obra adequadas. Devido ao apoio da Codevasf, hoje nós temos essa matéria-prima”, conclui.
A partir do interesse demonstrado por outros estados na expansão do Programa de Fortalecimento da Cajucultura no estado do Piauí e da necessidade de se desenvolver atividades sustentáveis dentro do Plano Brasil Sem Miséria – Desenvolvimento Regional, Territorial, Sustentável e Economia Sustentável, e considerando que as condições agronômicas existentes nos estados produtores são muito semelhantes aos demais estados de abrangência da Codevasf, a Companhia deverá investir recursos na elaboração de estudos e diagnósticos, bem como em ações voltadas para a implantação, expansão e fortalecimento da cajucultura em toda a área das bacias do São Francisco, Parnaíba, Itapecuru e Mearim.
SOBRE O CAJU NORDESTE
O 9º Caju Nordeste terá uma variada programação, com painéis temáticos, minicursos, vitrines tecnológicas, oficinas técnicas, mesas redondas, rodadas de negócios, além de visitas técnicas dos agricultores a empreendimentos rurais e agroindustriais. Outros destaques da programação são a Feira do Caju, onde serão expostos, demonstrados e comercializados produtos, serviços máquinas e equipamentos relacionados com a cajucultura e com atividades agropecuárias consorciadas; Festival Gastronômico, com concurso de receitas preparadas com a fibra do pedúnculo do caju e amêndoas da castanha de caju, e apresentações artísticas.
SERVIÇO:
9º Caju Nordeste
Data: 28/06 a 01/07
Local: AABB - Picos (PI)
Informações: www.cajunordeste.org.br
 Mais informações: www.codevasf.gov.br
Contato: Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional da Codevasf
Fone: (61) 3312 - 4860/4627/4769
28/06/2012

A VELHA LUTA CONTINUA: até mesmo aquí em Morro do Chapéu. Um dos argumentos mais usados pelos defensores (À $OLDO) das OLIGARQUIAS CORRUPTAS que nos DESgovernam aqui na terrinha, é; o de que AS IDEOLOGIAS ESTÃO MORTAS...e de que todos os POLÍTICOS SÃO IGUAIS. Os safados repetem como um mantra: "SE ATÉ O PRESIDENTE LULA MALUFOU...só os radicais daqui de Morro do Chapéu é que têm esse discurso ultrapassado"(...). À primeira vista, parece até legítimo; para os incautos que não se dão conta, de que na realidade: É O CONTRÁRIO. Foi Maluf que LULOU (no bom sentido, é claro)...como LULOU\fizeram também - aquí na Bahia -, a quase TOTALIDADE DOS FILHOTES DE TOINHO MALVADEZA. Um bom exemplo, aqui mesmo no nosso quintal: é o Deputado FISIOLÓGICO PROFISSIONAL José Carlos Araújo...que, se tornou MAIS CRISTÃO QUE O PAPA (vcs já notaram quando o mesmo pronuncia os nomes LULA, DILMA E WAGNER?...até um bebê nota que é BABAOVISMO DE CONVINIÊNCIA...E PURA FALSIDADE), por interesses próprios, e por pura conviniência; É ÓBVIO. O Partido de Maluf faz parte da Base aliada ao PT de LULA, como fez ontem ao PSDB de FHC e, fará amanhã; se o Governo 'DU JOUR' estiver nas mãos de CRISTO...ou de SATÃ. O IMPORTANTE É ESTAR PRÓXIMO AOS COFRES PÚBLICOS. Infelizmente, a GOVERNABILIDADE no nosso sofrido Brasil: TEM QUE CONVIVER COM ESSA NOJEIRA. Enquanto não houver uma reforma política profunda; assim será...goste-se, ou não.

Hélio Doyle: E a velha, antiga luta continua…

publicado em 28 de junho de 2012
A velha luta continua

Publicado 26/06/2012 22:22
por Hélio Doyle, em seu blog, sugerido pelo leitor Horácio Dourado

Direita e esquerda continuam presentes no cenário político e ideológico, em todo o mundo. Prova disso é o golpe dado pela direita contra a esquerda no Paraguai. Em resumo, foi isso que aconteceu: dentro da lei e da formalidade jurídica, a direita paraguaia, que domina o Congresso, derrotou a esquerda paraguaia, que havia elegido o presidente da República. Em termos mais amplos, a direita sul-americana infligiu uma derrota à esquerda do continente. Agora, nas políticas internas e externas da América do Sul, a luta continua entre direita e esquerda.
A direita e a esquerda se subdividem em diversas correntes, algumas mais extremadas, outras mais moderadas, há uma centro-direita como há uma centro-esquerda, e muitas vezes a direita assume políticas de esquerda e vice-versa. Mas isso não acaba com a essência da divisão política e ideológica cujas denominações remontam à Revolução Francesa.
Direita e esquerda vêm travando batalhas de ideias e de armas ao longo dos anos. Disputam eleições, dão golpes de estado, fazem revoluções, recorrem a ações armadas, digladiam-se em guerras civis. Quando um lado ganha o poder, por eleições ou não, o outro cuida de derrotá-lo o mais rapidamente possível. E usa todas as armas, as literais, as políticas e as econômicas, de que dispõe. Há 52 anos os Estados Unidos e aliados internos fazem de tudo para derrubar o governo de Cuba e restaurar o poder da direita. Há 48 anos as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia lutam contra a direita que governa a Colômbia.
A direita leva uma boa vantagem nesta luta, em países governados por ela ou pela esquerda – em seus diversos matizes, com exceção de Cuba, onde houve uma revolução que hoje não se repetiria. A direita tem o poder econômico, praticamente detém o monopólio da imprensa, consegue ser maioria nos parlamentos graças às práticas clientelistas e à força do dinheiro e da mídia nos processos eleitorais, consegue, pelas ideias conservadoras, ter forte influência entre militares e religiosos. E ainda tem o apoio dos Estados Unidos e dos governos de direita da Europa.
Mesmo com todo esse aparato, ao qual se soma a presença histórica nos tribunais, e com a máquina pública trabalhando por ela, a direita vem perdendo eleições e assim presidentes de esquerda ganham alguns governos. A questão é que ganham o governo, mas não o poder, que continua nas mãos dos que têm o capital e controlam a economia, a imprensa e instituições consolidadas no domínio da direita. Daí, ou a esquerda aceita moderar seus projetos e reduzir as contradições com o poder verdadeiro, o econômico, ou radicaliza o processo, o que só é viável com forte apoio popular e de pelo menos alguns segmentos das forças armadas.
A direita convive com a esquerda no governo enquanto não sente seus interesses ameaçados de fato ou não tem condições objetivas e subjetivas de derrotá-la. Tentou derrubar Hugo Chávez, da Venezuela, com um golpe militar apoiado pelos estadunidenses, mas não conseguiu, pois havia militares e forças populares apoiando o presidente. Teve sucesso ao derrubar Manuel Zelaya, em Honduras, e Fernando Lugo, no Paraguai, com golpes baseados na institucionalidade criada por ela própria e não desmontada, legalmente, pelos dois ex-presidentes. Tenta derrubar Evo Morales, da Bolívia, com a mesma tática com que derrubou Salvador Allende, do Chile, em 1973. Teria derrubado Lula, em 2005, se o presidente brasileiro não tivesse forte apoio popular e poder de reação. Preservou-o para derrotá-lo eleitoralmente em 2006, mas não deu certo.
Assim funciona a política, não a superficial do dia a dia parlamentar, mas a que busca o poder. Direita e esquerda não acabaram, ao contrário do que dizem ingênuos, desinformados e pretensos pensadores pretensamente modernos. Basta ver quem apoia o golpe no Paraguai: donos de terras (inclusive grileiros brasileiros), empresários do agronegócio, banqueiros, a Igreja Católica, políticos e militares conservadores, muitos deles colaboradores ativos do general Alfredo Stroessner. Com o cada vez mais claro respaldo da embaixada estadunidense e da agência local da CIA. Basta também ver quem apoia, no Brasil, o golpe no Paraguai: a direita raivosa e a moderada que, se pudessem, fariam a mesma coisa aqui, mesmo não tendo muito a reclamar.
O golpe “constitucional e legal” no Paraguai, porém, foi tão descarado que até países governados pela direita sul-americana, como Chile e Colômbia, sentem-se obrigados a adotar medidas que demonstrem sua reprovação e condenação. Até que ponto, ainda não se sabe. Os outros sete presidentes de países latinos sul-americanos são de esquerda, mas a esquerda tem diversos matizes e cada um desses países tem uma realidade interna diferente. Também não se sabe ainda até que ponto vão na reação ao golpe paraguaio.
E a velha luta continua.
Leia também:
Ricardo Canese: Motorista multado no Paraguai tem mais prazo que Lugo
Pública: Revolução à americana (o golpe veste roupa de civil)
Honduras: O que rolou depois do golpe
Washington vai usar golpe para bloquear Venezuela no Mercosul?

POR QUE COMBATEMOS O ANTISSEMITISMO, O RACISMO E A HOMOFOBIA?

A BAHIA É O ESTADO BRASILEIRO QUE MAIS ASSASSINATOS OCORREM POR HOMOFOBIA. O ÓDIO À COMUNIDADE LGBT É TAMANHO, QUE, POLÍTICOS COM  RESPONSABILIDADES A NÍVEL NACIONAL ( como o Deputado Fisiológico José Carlos Araújo), usam os seus serviçais\capitães-do-mato, para fazerem o TRABALHO SUJO... atacando (com chacotas de cunho homofóbico) desafetos\inimigos políticos  -reais ou imaginários...como é o caso do blog MNSC.
A Sociedade Baiana precisa se conscientizar dessa VERGONHA. Gente, HOMOFOBIA É UM CÂNCER que destrói famílias inteiras (como podemos ver nessa REVOLTANTE reportagem abaixo)...NÃO PODEMOS CONTINUAR ASSIM,  SENDO CONIVENTES COM ESSE GENOCÍDIO...por medo de sermos chamados de algum adjetivo pejorativo. Homem ou Mulher de VERDADE, não pode ter medo de ser chamado de GAY...que, aliás; NEM CRIME MAIS É.
HOMEM\MULHER DE VERDADE É AQUELE\A QUE SE COLOCA DO LADO DA JUSTIÇA...MESMO QUE TENHA QUE SOFRER NA SUA PRÓPRIA PELE...AS CONSEQUÊNCIAS. A DIGNIDADE; NÃO TEM PREÇO.

'Nossa ligação era muito forte', diz irmão de gêmeo morto por espancamento
Leandro morreu no local | Foto: Arquivo pessoal
O irmão gêmeo do jovem que morreu após ser espancado por um grupo de homens, José Leandro da Silva, de 22 anos, teve o maxilar quebrado em três lugares, quase teve o olho esquerdo perfurado e ainda terá que ser submetido a uma cirurgia. Ele e José Leonardo da Silva deixavam o Camaforró, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), na madrugada do último domingo (24), quando oito homens passaram a espancá-los. "Senti meu coração parar, senti que tinha perdido algo. Minha irmã disse que eu tinha que ser forte. Eu pensava que meu irmão estava vivo, foi uma dor muito grande, meu irmão era tudo para mim, companheiro, amigo... Nossa ligação era muito forte", relatou Leandro, em entrevista ao G1. A delegada responsável pelo caso, Maria Tereza Santos Silva, trabalha com a hipótese de homofobia. O sobrevivente também acha que não há outra justificativa para as agressões, mas não compreende porque foram confundidos com um casal homossexual. "Acho que foi homofobia, achavam que a gente era gay, mas não entendo, éramos gêmeos idênticos, era evidente que éramos irmãos. Eu apenas coloquei a mão em cima do ombro dele! Sempre fomos do bem, honestos, nunca nos envolvemos com nada errado, drogas... Até mesmo na festa, não teve nenhuma confusão, não mexemos com a mulher de ninguém", contou. Cinco dos oito participantes das agressões estão detidos na unidade policial. "Meu rosto está bem ferido, roxo. Sinto muita dor na cabeça e nas costas. Não consigo entender, estávamos saindo da festa, indo para casa, quando fomos surpreendidos. A gente nem viu de onde eles vieram, já chegaram batendo, chamando a gente de mulherzinha. Tentamos correr, mas eles tinham punhal, faca, pedra...", lembrou.

=====================+++++++++++++++++================

Quinta, 28 de Junho de 2012 - 07:36

Homofobia é apontada como causa da morte de 15 homossexuais na Bahia em 2012

terça-feira, 26 de junho de 2012

Se tivesse havido ou houvesse UM GOLPE DE ESTADO aquí no Brasil...qual teria sido\seria a reação do Povo de Morro do Chapéu? Baseado na dependência e orientação PIGUISTA DA NOSSA MÍDIA MIGALHEIRA, E, NA CORRUPÇÃO ENDÊMICA DOS NOSSOS LÍDERES: O POVO DE MORRO DO CHAPÉU 'INFELIZMENTE' APOIARIA. É triste constatar que a educação política do nosso Povo... é ainda tão infantil. Não é à toa que, POLÍTICOS EMBUSTEIROS PROFISSIONAIS como os Deputados FISIOLÓGICOS José Carlos Araújo e Édson Pimenta do PSD (sabe Deus até quando), juntamente com os seus vassalos locais; CONSEGUEM ENGANAR TANTA GENTE BOA. Morro do Chapéu e região, sairam do FEUDALISMO CARLISTA...mas nunca realmente chegaram ao século XXI do Governador Wagner...e dos Presidentes Lula e Dilma. Pelo menos no campo DAS IDEIAS E COSTUMES CIVILIZADOS; nós ainda continuamos os mesmos feudais da Era Toinho Malvadeza. Tomemos como exemplo, as pessoas e\ou organizações formadoras de opinião: 90% SÃO PICARETAS DA PIOR ESPÉCIE...E 10% SÃO INOCENTES ÚTEIS. Nas próximas eleições, Morro do Chapéu terá a oportunidade de começar a mudar; SE ELEGER PESSOAS ÍNTEGRAS...E NÃO ESSE LIXO CORRUPTO QUE ASPIRA NOS REPRESENTAR. Se tivéssemos pelo menos UMA IMPRENSA INDEPENDENTE que não hesitasse em DENUNCIAR OS NOSSOS POLÍTICOS BANDIDOS: Muita coisa poderia MUDAR. Mas, descaradamente; o que temos é esse esterco migalheiro que só pensa em seus próprios bolsos...e que se lixe o INTERESSE COLETIVO.

Breno Altman: Brasil reage de forma “branda” e pode estimular outros golpistas

publicado em 25 de junho de 2012 às 23:27
Há diferença fundamental entre os golpes de Honduras e Paraguai?
No que diz respeito à sua natureza política, nenhuma; nos dois episódios, a Casa Branca se posicionou contra o voto popular

por Breno Altman, no Opera Mundi

A resposta a essa pergunta pode ser dada de bate-pronto: nenhuma. Ao menos no que diz respeito à sua natureza política. Nos dois casos, a derrocada de um presidente constitucional ocorreu através de processo sumário e operado pela via das instituições. Em ambas situações, esse modelo foi possível porque havia uma crise de poder nascida de uma mudança política incompleta: a conquista do governo pelos setores progressistas não se fez acompanhar por uma maioria parlamentar de esquerda e por reformas no sistema judiciário.
Essa contradição não é exclusiva de Honduras e Paraguai. O Brasil vive cenário bastante semelhante. O ápice desse conflito ocorreu em 2005, quando as forças conservadoras estiveram a poucos passos de apostarem no impedimento do presidente Lula. Faltou-lhes coragem e sobraram-lhes dúvidas sobre como reagiriam as ruas. As duas derrotas eleitorais, em 2006 e 2010, neutralizaram setores potencialmente golpistas e isolaram a direita mais açodada. Mas o pano de fundo continua o mesmo.
Mesmo países nos quais hoje a transformação política já atingiu todas as esferas do Estado, como é o caso de Venezuela e Bolívia, viveram essa contradição em outras fases. O golpe de Estado de 2002, contra Chávez, só foi possível quando a operação midiática dividiu as forças armadas e a base parlamentar governista, tirando-lhe maioria na Assembléia Nacional. O boliviano Evo Morales, mesmo sem ter sido vitima de um golpe aberto, também viveu agruras parecidas.
A lição dessas experiências é que não há caminho possível para romper esse conflito sem um forte apelo à mobilização social e à atuação firme dos segmentos que apoiam os governos progressistas. Manobras institucionais podem abrandar os efeitos dessa contradição, da mesma forma que a criação de maiorias táticas (como, aliás, houve em um certo período no Paraguai e há no Brasil). Mas dificilmente pode ser erradicada sem que o protagonismo das organizações populares empurre a direita para uma situação de cerco.
Apenas depois de enfrentamentos desse gabarito Evo e Chavez, por exemplo, conquistaram amplas maiorias estratégicas para suas administrações. Além da mobilização exercer uma forte influência pedagógica sobre os cidadãos, geralmente acaba por empurrar as correntes reacionárias para aventuras fora do quadro constitucional. Quando fazem essa opção, em cenário de isolamento, são mais facilmente desmascaradas e demarcadas como inimigas atávicas dos processos democráticos.
Por razões distintas, nem Manuel Zelaya nem Fernando Lugo quiseram ou puderam criar as condições para uma ampla mobilização popular em defesa de seus mandatos e da ordem constitucional quando os golpistas começaram a tecer seus planos. O primeiro porque havia feito um rara passagem da oligarquia para o campo progressista, perdendo velhos amigos sem ganhar a confiança plena dos novos aliados. O segundo porque, eleito por uma coalização à esquerda, foi frustrando seus seguidores com concessões infindáveis, no afã de apaziguar as forças conservadoras. Perdeu antigos apoios e, de quebra, acabou derrubado por quem tentou cativar.
Justiça seja feita, e aqui vai a primeira diferença importante, o fazendeiro Zelaya colocou seu chapelão e não se rendeu aos golpistas, comandando um longo processo de resistência. O padre Lugo, abatido e anêmico, foi para casa sem assumir a liderança do questionamento à ordem imposta pelos parlamentares sublevados. Começou a acenar com atos de resistência quando já havia aceito sua substituição ilegítima.
Também há um traço de identidade nos interesses representados pelas coalizões oposicionistas das duas nações. No epicentro da conspiração estão grupos de latifundiários e banqueiros, associados a empresas de comunicação, que rejeitam qualquer reforma voltada para a democratização da terra ou o controle dos mecanismos rentistas.
Outra semelhança pode ser encontrada na postura dos Estados Unidos. Nos dois episódios, a Casa Branca impulsionou a mão de gato contra o voto popular. A princípio, com vários senões e cautelas. Depois, consumada a operação golpista, de forma escancarada. Aliás, já tinha feito o mesmo no putsch venezuelano e na tentativa de desestabilizar Evo. Não é preciso esforço para chegarmos à conclusão que o golpismo não pode ser tratado como peça de museu da Guerra Fria. Devidamente atualizada, essa alternativa continua presente no arsenal norte-americano contra as experiências progressistas da América Latina.
Reação branda
Também de diferente, o que podemos registrar, ao compararmos Honduras e Paraguai, foi a atitude da diplomacia brasileira, que transitou do rechaço inegociável para uma posição de protesto. Os presidentes do Equador, da Argentina, da Venezuela e da Bolívia já disseram claramente que se tratou de um golpe de Estado e declararam que o novo governo não tem legitimidade. O Brasil, mesmo na nota na qual acena com sanções nos termos da cláusula democrática do Mercosul e da Unasul, não foi tão taxativo a respeito.
Há informações de bastidores dando conta que Fernando Lugo cogitou recusar a passagem do cargo e dissolver o Congresso, mas teria se deparado com a negativa brasileira de dar apoio a esse tipo de reação. Se assim ocorreu, trata-se de uma resposta distinta à adotada no golpe contra Zelaya.
As razões para essa alteração ainda não estão claras. Uma das possibilidades é o receio de assistir Chile e Colômbia, governados por conservadores, se afastarem da Unasul. Outra possibilidade é a dúvida acerca da consistência da reação prometida pelo próprio Lugo, que ademais poderia transformá-lo de vítima em agressor. Os próximos passos do Itamaraty, no entanto, poderão esclarecer melhor se estamos apenas diante de inflexões circunstanciais ou de uma nova estratégia.
Numa mirada mais abrangente, esta mudança de orientação, se verdadeira, residiria principalmente no modo de administrar as relações com Washington. Até a intentona em Assunção, poderiam ser notadas novas abordagens na política para o Oriente Médio, particularmente em relação à Síria, ao Irã e mesmo à intervenção da OTAN contra a Líbia de Kaddafi. Com Lula e Amorim, de forma corajosa, o Brasil puxava um bloco contra-hegemônico, que desafiava abertamente os desígnios da superpotência. Hoje, as vezes, parece que esse objetivo saiu da agenda.
Uma paradigma readaptado implicaria, também, num lidar distinto com as forças conservadoras quando essas se lançam em golpes institucionais. Eventualmente não por conta de um novo conceito, mas para evitar conflitos com governos fora do arco progressista e com os norte-americanos, além de prevenir exaltações internas com a mídia e as elites nacionais.
Se há mesmo uma conduta diferenciada, essa acabou por sofrer, logo na estréia, inegável derrota, ao menos provisoriamente. Os atores moderados ou conservadores podem estar mais satisfeitos com o tom adotado em relação ao golpe no Paraguai, mas o fato concreto é que os golpistas não deram ouvidos e um presidente aliado foi derrubado.
Poderia ser dito que, no caso hondurenho, o Brasil tampouco viu sua política ser vitoriosa, pois Zelaya não voltou à Presidência. Isso também é verdade. Mas o país colheu frutos positivos, como líder regional, por sua firmeza em defesa da democracia. E conseguiu isto num país localizado em região onde a hegemonia dos Estados Unidos pontifica incontrastável.
Já a pátria guarani é integrante do Mercosul e sob forte influência verde-amarela. Aqui, ao contrário de Honduras, o Brasil tem meios de colocar a faca no pescoço dos golpistas. Se não tivermos êxito nisso, outros ensaios antidemocráticos poderão ter curso, na América do Sul ou mesmo dentro das fronteiras pátrias.
Oxalá a aparente brandura brasileira seja apenas um momento. Afinal, a história não conhece golpes que tenham sido impedidos ou revertidos com punhos de renda. E salpica de exemplos sobre como a contemporização tem o dom de estimular o apetite fascista das oligarquias.
Leia também:
Canese: Motorista multado no Paraguai tem mais tempo para se defender que Lugo
Honduras: O que rolou depois do golpe
Washington vai usar golpe para bloquear Venezuela no Mercosul?

A rádio COMUNITÁRIA DIAMANTINA FM, está se tornando notória pela sua LINHA REACIONÁRIA...traduzindo e disseminando constantemente a VISÃO ELITISTA DO PIG (OESP,FSP,VEJA,GLOBO). Hoje, mais uma vez, acabamos de receber outra gravação, na qual, O VAGABUNDO CORRUPTO BETO ROCHA; ataca o PT, o Governador Wagner, o Programa Bolsa Família e, dando uma de ''CIENTISTA POLÍTICO'': decreta o ''FIM DAS IDEOLOGIAS''...É MOLE? UM ZERO A ESQUERDA que, a única coisa que sabe fazer com perfeição: É BABAR OVO DE POLÍTICO CORRUPTO. Morro do Chapéu se encontra entre os 100 MUNICÍPIOS COM MENOR IDH do País, só ainda existe graças à esses programas sociais do Governo Federal, introduzidos pelo nosso Grande Presidente LULA. Se não fosse por esses programas, estaríamos todos LITERALMENTE morrendo de fome...principalmente agora com essa seca. Esse vagabundo só fala essas asneiras, porque não tem a mínima DIGNIDADE E RESPONSABILIDADE para com os seus conterrâneos. Também, o que se pode esperar de um parasita que não hesita em corromper-se...defendendo interesses de políticos bandidos. Que moral tem uns safados que USAM UMA CONCESSÃO PÚBLICA para ILEGALMENTE auferir LUCROS...para falar mal do Governador Wagner? Nós também SOMOS SOLIDÁRIOS À LUTA DOS NOSSOS PROFESSORES , POR MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO E VENCIMENTOS...mas nem por isso vamos esquecer o PROGRESSO E OS AVANÇOS SOCIAIS que nos trouxe a atual Gestão Estadual do Partido dos Trabalhadores. Essa rádio (juntamente com a outra LARANJA...que dispensa comentários), foi sequestrada e desviada do SEU OBJETIVO ORIGINAL; QUE É SERVIR AO POVO DE MORRO DO CHAPÉU...e não a DOIS OU TRÊS ESPERTALHÕES...que estão FATURANDO com a mesma. Para começar, o seu diretor, o irmão do prefeito (que atua ilegalmente como se fosse SEU PROPRIETÁRIO); NEM AQUÍ na comunidade MORA...o que é totalmente ILEGAL, segundo o estatuto que rege as RÁDIOS COMUNITÁRIAS. ABUSEM....E ABUSEM BASTANTE DA NOSSA PACIÊNCIA, VIU MALANDROS!?....porque o de vocês pode tardar: MAS NÃO VAI FALTAR.

O conservadorismo inimigo do Bolsa Família


 
De CartaCapital

O Bolsa Família e seus inimigos

Por Marcos Coimbra

O pensamento conservador brasileiro – na política, na midia, no meio acadêmico, na sociedade – tem horror ao Bolsa Família.
É só colocar dois conservadores para conversar que , mais cedo ou mais tarde, acabam falando mal do programa.
Não é apenas no Brasil que conservadores abominam iniciativas desse tipo. No mundo inteiro, a expansão da cidadania social e a consolidação do chamado “Estado do Bem-estar” aconteceu, apesar de sua reação.
Costumamos nos esquecer dos “sólidos argumentos” que se opunham contra políticas que hoje em dia são vistas como naturais e se tornaram rotina. Quem discutiria, atualmente, a necessidade da Previdência social, da ação do Estado na saúde pública, na assistência médica e na educação continuada?
Mas todas já foram consideradas áreas interditas ao Estado. Que melhor funcionariam se permanecessem regidas, exclusivamente, pela “dinâmica do mercado”.
Tem quem pode, paga quem consegue. Mesmo se bem-intencionado, o “estatismo” terminaria por desencorajar o esforço individual e provocar o agravamento – em vez da solução – do problema original.
O axioma do pensamento conservador é simples: a cada vez que se “ajuda” um pobre, fabricam-se mais pobres.
Passaram-se os tempos e ninguém mais diz essas barbaridades, ainda que muitos continuem a acreditar nelas.
Hoje, o alvo principal das críticas conservadoras são os programas de transferência direta de renda. Naturalmente, os que crescem e e se consolidam. Se permanecerem pequenos, são vistos até com simpatia, uma espécie de aceno que sinaliza a “preocupação social de seus formuladores”.
MAS É UMA RELAÇÃO AMBÍGUA: ao mesmo tempo que criticam os programas de larga escala, dizem-se seus mentores. Da versão “correta”.
Veja-se a polêmica a respeito de quem inventou o Bolsa Família: irrelevante para a opinião pública, mas central para as oposições. À medida que o programa avançou e se expandiu ao longo do primeiro governo Lula, tornando-se sua marca mais conhecida e aprovada, sua paternidade começou a ser reivindicada pelo PSDB. Argumentaram que sua origem era um programa instituído pelo prefeito tucano de Campinas, José Roberto Magalhães Teixeira, em 1994.
Ele criou de fato o Programa de Renda Mínima, que complementava a receita de pessoas em situação de miséria. Por razões evidentes, limita-va-se à cidade e beneficiava apenas 2,5 mil famílias, com uma administração tão complexa que era impossível expandí-lo com os recursos da prefeitura.
Tem sentido dizer que o Bolsa Família nasceu assim? Que esse pequeno experimento local é a matriz do que temos hoje? O maior e mais bem avaliado programa do gênero existente no mundo e que serve de modelo para países ricos e pobres?
O que a discussão sobre o Renda Mínima de Campinas levanta é uma pergunta: se o PSDB estava convencido da necessidade de elaborar um programa nacional baseado nele, por que não o fez?
Não foi Fernando Henrique Cardoso quem venceu a eleição de 1994? O novo presidente não era amigo e corrligionário do prefeito? Ou será que FHC não levou o programa do companheiro para o nível federal por ignorá-lo?
Quem sabe conhecesse a iniciativa e até a aplaudisse, mas não fazia parte do arsenal de medidas que achava adequadas para enfrentar o problema da pobreza. Não eram “coisas desse tipo” que o Brasil precisava.
GOSTE-SE OU NÃO DE LULA, o fato é que o Bolsa Família só nasceu quando ele chegou à Presidência. E é muito provável que não existisse se José Serra tivesse vencido aquela eleição.
Fazer a arqueologia do programa é bizantino. Para as pessoas comuns não quer dizer nada. Como se vê nas pesquisas, acham até engraçado sustentar que o Bolsa Família não tem a cara de Lula.
Não é isso, no entanto, o que pensam os conservadores. para eles, continua a ser necessário evitar que essa bandeira permaneça nas mãos do ex-presidente.
O curioso é que não gostam do programa. E que, toda vez que o discutem, só conseguem pensar no que fazer para excluir beneficiários: são obcecados pela idéia de “porta de saída”.
Outro dia, tudo isso estava em um editorial de O Globo intitulado “Efeitos colaterais do Bolsa Familia”: a tese da ancestralidade tucana, a depreciação do programa – apresentado como reunião de “linhas de sustentação social ( ? ) já existentes” – a opinião de que teriaficado “grande demais”, a crítica de que causaria escassez de mão de obra no Nordeste, e por aí vai ( em momento revelador, escreveu “Era FHC” e “período Lula” – como se somente o primeiro merecesse a maiúscula ).

Para a oposição – especialmente a menos informada – o Bolsa Família é o grande culpado pela reeleição de Lula e a vitória de Dilma Roussef. Não admiraque o deteste.
Para os políticos, as coisas são, porém, mais complicadas. Como hostilizar um programa que a população apóia?
Por isso, quando vão à rua disputar eleições, se apresentam como seus defensores. Como na inesquecível campanha de
Serra em 2010: “Eu sou o Zé que vai continuar a obra do Lula!”
Alguém acredita?

segunda-feira, 25 de junho de 2012

PEDRO HONORATO ESCREVE:



VISÃO POLITICA
Na efervescência das estratégias para a vitória, adversários, traidores, inimigos políticos de ontem se aproximam, se irmanam, se reconciliam e seguem juntos, cinco, dez partidos, com o mesmo objetivo: vencer as eleições. Meses depois, conseguido o intento, recomeçam as discórdias, não se tem como pagar as faturas das promessas acordadas com cada partido, antes. Já vimos esse filme muitas vezes…Aliás, sobre o tema, John Galbraith (1908-2006), que foi filósofo, economista e escritor americano e assessor econômico do presidente John Kennedy, já dizia, faz tempo: “Nada é tão admirável em política quanto uma memória curta”.
Enfim, em nome da democracia, começa mais um período de atividades político-partidárias com os olhos voltados para as eleições de prefeitos e vereadores em outubro de 2012, já com o olhar voltado para outubro de 2014. Bem! Vamos ao que nos interessa que é falar da terrinha, ou seja, daqui de Morro do Chapéu onde aconteceu o que muitos já previam o PT nega a legenda a Erico Sampaio e este apoia um candidato também de oposição rachando sua base com o PT que agora defende a candidatura de Pedro Nilson laçando Dantinhas como vice na referida chapa compondo PT/PTB. Mas e o Léo Dourado quem diria um moço quieto sem palpites na politica de nosso Morro agora é candidatíssimo fazendo valer a força do nome (Dourado) e dona Francisca Neide vice, isso tudo preocupa mesmo é o Prefeito Cleová que perde a densidade eleitoral em Duas Barras e em geral com a saída de dois dos seus edis mais votados no pleito passado Francisca Neide e João de André. E a campanha?Ah! Que bom seria que tudo acontecesse de forma civilizada, sem baixarias, sem armações, sem agressões de qualquer tipo, com os candidatos defendendo seus projetos com veemência, mas com respeito ao adversário como acontece, por exemplo, nos Estados Unidos, na França, onde o perdedor costuma reconhecer a derrota e cumprimentar o vencedor, de quem até pode se tornar colaborador porque o que todos defendem lá, mesmo em posições opostas, é o interesse da nação e não os interesses pessoais. Nossos votos para que por aqui possamos pelo menos ouvi propostas.

Pedro Honorato

TAL PAI, TAL FILHO...TAL PRIMO, TAL PRIMO!

O PROJETO PERSONALISTA DOS "PRIMOS SAMPAIOS": NÃO CONHECE LIMITES...E MORRO DO CHAPÉU PODERÁ SER A PRÓXIMA VÍTIMA; DESSES DOIS POLÍTICOS PICARETAS. Nada poderia ser mais emblemático do que reside no DNA dessa família, que; essa foto abaixo do PSEUDO EX-COMUNISTA ÉDSON PIMENTA (primo do dito cujo...que quer SUBJUGAR Morro do Chapéu): atrás da COMANDANTE DO DESMATAMENTO, DO TRABALHO ESCRAVO, E DO AGRONEGÓCIO...a Senadora RURALISTA KÁTIA ABREU. Esses dois EMBUSTEIROS, já ENGANARAM A MUITA GENTE BOA, porém: NÃO A MIM. Eu sempre soube que esses DOIS CANALHAS nunca tiveram NENHUM COMPROMISSO COM A CAUSA PROLETÁRIA, E SIM: COM OS SEUS RESPECTIVOS BOLSOS. O  Partido dos Trabalhadores, NUNCA DEVERIA TER PERMITIDO A FILIAÇÃO DE UM SUJEITO DESSES...UM POLÍTICO FISIOLÓGICO QUE SÓ PEN$$$A NAQUILO. Essa falta de discernimento;  só serviu\e para ENLAMEAR O BOM NOME DO PARTIDO...aquí em Morro do Chapéu. Quantas vêzes fomos insultados por causa deste VAGABUNDO TRAIDOR...e tivemos que nos calar; ACREDITANDO na lábia do sujeito. Esperamos, que o MINISTÉRIO PÚBLICO apure a fundo as MALANDRAGENS E FALCATRUAS ocorridas na COOPAF...sob a gestão desse EMBUSTEIRO PROFESSIONAL.  

QUE MORAL TEM UM CANALHA DESSES PARA CRITICAR OS 'FICHAS SUJAS' ALIOMAR ROCHA E\OU CLEOVÁ BARRETO...QUANDO O MESMO É TÃO SUJO QUANTO AMBOS?
QUE FOTO GROTESCA!...UM REPRESENTANTE DA ODIADA CLEPTOLIGARQUIA DOS DOURADOS, UMA VELHINHA GAGÁ QUE DEVERIA SE LIMITAR A FICAR EM CASA FAZENDO TRICÔ...E ESSE FORASTEIRO ESPERTALHÃO; QUE PENSA QUE NÓS MORRENSES SOMOS TODOS UNS IDIOTAS...E JÁ NOS ESQUECEMOS DO 'ESCÂNDALO DA COOPAF'.  






SÃO PAULO CONTRA O GOLPE NO PARAGUAI.

Este final de semana, o FASCISTA Lauro Adolfo S. Dourado, e o medíocre Professor NAZISTA Délcio Gama: parecem que estão\vam MENSTRUADOS\AS....nos enviaram um montão de baboseiras; CALUNIANDO a vários cidadãos de bem daqui de Morro do Chapéu. O IRÔNICO, é que os safados nos acusam de CALUNIAR, DIFAMAR E CENSURAR. Querem porque querem, que o BRASIL E O MUNDO TODO que nos acessam diariamente; leiam as suas maluquices de cunho racista,antisssemita, homofóbico e antipetista. Como já se deram conta da SERIEDADE DO BLOG E, DE SUA POPULARIDADE ENTRE AS CABEÇAS PENSANTES DA REGIÃO; estão fazendo o possível...e o impossível; para serem notados. A CREDIBILIDADE DO BLOG, consiste em DENUNCIAR POLÍTICOS PILANTRAS, E, SOBRETUDO, NÃO CENSURAR A OPINIÃO DE NINGUÉM...NEM MESMO A DOS NOSSOS PIORES DETRATORES...como os dito cujos, e o pessoal da rádio LARANJA. Só que tem gente sem-vergonha que não entende a diferença entre LIBERDADE DE EXPRESSÃO...E BORDEL. QUEREM NOS ESCULACHAR; TUDO BEM!...QUE O DIGA O LÍNGUA DE TRAPO. MAS NÃO ACEITAMOS QUE METAM NOMES DE TERCEIROS...PESSOAS INOCENTES QUE NÃO TÊM NADA A VER COM O BLOG. Façam como o ALTER EGO DO DEPUTADO FISIOLÓGICO ZÉ CARAMUJO, nos "aconselhe à sair do armário" etc e tal...MAS NÃO VENHAM ENLAMEAR O NOME DE HOMENS DE BEM como os irmãos BENTO...PORQUE NÓS NÃO VAMOS ACEITAR...E RASTREAREMOS OS IPs dos caluniadores; e tomaremos as "providências necessárias". QUEREM FALAR MAL!...FALEM MAL DE POLÍTICO BANDIDO; que a nossa porta está aberta.

Nos chamando de BLOG DO ANTI-CRISTO, o antipetista NAZISTA Professor DELCIO GAMA, mais uma vez: mostra que perdeu totalmente o senso de ridículo. Muitos nos aconselham a ter paciência e, que, o seu ANTIPETISMO, ANTISSEMITISMO E HOMOFOBIA...é só um desabafo: POR TER SE TORNADO BROCHA...pela quantidade de drogas que toma para controlar a sua diabetes. Mais uma vez, queremos deixar bem claro, que respeitamos a sua condição de diabético, e, sobretudo; lhe desejamos MUITA SAÚDE...para responder pelos processos...que eventualmente estão a caminho. Se este senhor, atualmente, - devido a sua enfermidade -, só usa o TRASEIRO PARA OS SEUS PRAZERES LIBIDINOSOS (como dizem as más línguas); NÃO É NOSSA CULPA. Porisso, não entendemos as suas constantes tiradas antissemitas e\ou homofóbicas. VOMITAR ÓDIO; NÃO VAI MUDAR A VOSSA CONDIÇÃO DE SAÚDE, PORTANTO: RELAXA E GOZA, VOVÔ!....diria o filósofo Juca Chaves.

LEAM ABAIXO ALGUMAS DAS TIRADAS NAZIFASCIS DO DITO CUJO...OU ALGUÉM QUE SE IDENTIFICA COMO O MESMO:     

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "RECORDAR É VIVER. INFORMAÇÃO enviada pelo editor\c...":

AQUI QUEM ESCREVE É O PROF. DELCIO GAMA
ESTOU CONTENTE PORQUE ESSE BLOG DE MERDA TODO DIA ME OIFBDE, MAS N REALIDADE ESTÁ É FAZENDO PROPAGANDA POLÍTICA DE GRAÇA PRA MIM. ACM JA DIZIA - "ANTES SER MAL FALADO DO QUE BEM ESQUECIDO " ALIAS, O BLOGUEIRO É ACM- ANDRE CUNHA MENEZES ? É TÃO IMBECIL QUE NÃO ISSO NEM VIU . AH, RIMOU )
ENTÃO BANDO DE BOSTÉTICOS, PODEM FALAR MAL DE MIM, ATE EU NÃO GOSTAR E AÍ VAMOS VER NO QUE VAI DAR. O ESTATUTO DO IDOSO PREVER ESSAS OFENSAS A MORAL E A DIGNIDADE DOS POBRES VELHINHOS COMO EU KKKKKKKKKKKKKKKRSRSRSRRS,SEU BUNDÃO
SÓ PRA LEMBRAR, SEU "PÊRFEITO", NÃO APAGUE MEU COMENTARIO NÃO

Postado por Anônimo no blog
MORRO NOTICIAS SEM CENSURA em 24 de junho de 2012 16:54
Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "
ESTA SEMANA O GRANDE BALILI NOS BRINDA COM MAIS UM...":

AQUI QUEM ESCREVE É O PROF. DELCIO GAMA SEU BOSTÉTICO COMPLECXADO E MAL ASSUMIDO, SUA HISTORIA VAI ACABAR BREVE, PORQUE JA VEM AI UMA LEI QUE PROIBE O ANONIMATO DE BLOGUEIROS DESCARADOS IGUAIS A VOCE, SEU ENRRUSTIDO;. POR QUE NÃO FALA DOS PETISTAS CORRUPTOS DO MENSALÃO/? ESSE É UM BLOG LIVRE OU DA MÁFIA DO PT ? SE VOCE DEFENDE O WAGNER, ESTA CONTRA A FAMILIA BAIANA E TODA A JUVENTUDE DO MORRO, SEM ESTUDAR E SEM FUTURO. É DISSO QUE VOCE DEVERIA FALAR, SEU IMBECIL, SÓ QUEM ESTA GOSTANDO DESSE BLOG ANTI-CRISTO E OFENSIVO É GENTINHA DO SEU PARTIDO E DE SUA LÁIA. FALE MAIS DE MIM, QUE SOU QUE NEM MASSA DE BOLO, QUANTO MAIS VOCE BATER MAIS EU CRESÇO NA CAMPANHA ELEITORAL, SEU IMPERFEITO IDIOTA. DEUS TENHA PENA DE SUA ALMA ATRIBULADA, E DOS QUE TE SEGUEM. TUDO TEM LIMITE E QUANDO O MEU ACABAR, VOCE VAI VER COM QUANTOS PAUS SE FAZ UMA CANOA FURADA

Postado por Anônimo no blog
MORRO NOTICIAS SEM CENSURA em 24 de junho de 2012 16:23

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "
ESTA SEMANA O GRANDE BALILI NOS BRINDA COM MAIS UM...":

ALO MORRO SEM CENSURA

POR QUE TANTO COMENTARIO EXCLUIDO ? CADE A TAL LIBERDADE DE OPINIÃO ? VOCES OFENDEM A MORAL ALHEIA ME CHAMANDO DE CANALHA E NAZISTA MAS NAO FALAM DA UNIÃO DESCARADA E IMORAL DO LULINHA "FAZ O TERROR" COM COLLOR, MALLUF E MANCHAM A HONRA DOS OUTROS E NÃO GOSTAM DE OUVIR O TRÔCO? MACACO NÃO OLHA PRO RABO
ALEM DE COVARDES SÃO TAMBEM DTTATORIAIS ( ALIAS O "T" DO PT, QUER DIZER : TIRANO/TIRANIA/TRANBIQUE/TRAFICANTETRAIÇÃO/TRAÍRA/TRAIÇEIRO / TROMBADINHA, E OUTROS.PUBLIQUE SE TIVER CORAGEM SEU PT DE MERDA

Postado por Anônimo no blog
MORRO NOTICIAS SEM CENSURA em 24 de junho de 2012 16:12

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "
RECORDAR É VIVER. INFORMAÇÃO enviada pelo editor\c...":

Que lindo o "casal ACM" editando um blog mesquinho como esse ,o meu jovem seja HOMEM e assuma a identidade lá do PEPEDRO !Mais um desafio para nós,já que agora temos uma dupla de defensores do PT,de Toinho do PT e do Balili,canalhas ,parciais,ocultos,caluniosos,difamadores!

Postado por Anônimo no blog
MORRO NOTICIAS SEM CENSURA em 24 de junho de 2012 15:24