quarta-feira, 31 de outubro de 2012

POR QUE O PT FALHOU EM SALVADOR?







Jean
Trocando em míudos, o J.Wagner é um "quinta coluna" e o diretório nacional do PT tem de abrir os olhos para o comportamento dele. Seus candidatos perderam por duas vezes consecutivas para prefeito de Salvador. Isto não há de ser mero acaso. Graças a isto, já em 2014, a oposição retrograda representada pelo DEM/PSDB terá um palanque, provalmente, forte em Salvador. Salvador que deu vitórias eleitorais largas tanto a Lula quanto a Dilma. A situação aqui é preocupante e temo pela nossa possibilidade de mudar para melhor práticas politicas e a mentalidade das pessoas, por conta da arrogância e incompetencia de J.wagner e seus assesores. Não se pode esquecer que ACMn é sócio próprietário de uma poderosa rede de comunicação, (a retransmissora da globo, que tem a maior audiencia do estado e talvez do norte e nordeste) o jornal mais vendido do estado, uma rádio, boas relações com maligna Veja e ainda por cima, a boa vontade da mídia tradicional(vide a materia de ontem de o Globo já dando visibilidade ao "lord" malvadeza). Salvador vai acabar se tornando uma trincheira do DEM/PSDB, de onde tanto pode partir um possivel nome para a chapa de oposição para presidencia da republica ou para o governo do estado, quanto, certamente, muitas baixarias contra o PT, Lula e Dilma. A situação é exige cuidados e contamos com os blogs ditos "sujos" para desarticularmos esta bomba. Somos quase metade do eleitorado que não aceitou a volta do carlismo ao poder, e demonstramos isto nas urnas votando em Pelegrino, mesmo com todos os problemas da candidatura dele e da administração de J.Wagner.


Marcia
1. O primeiro grande erro foi a cooptação das bases do carlismo em detrimento aos militantes históricos do partido, na grande maioria das cidades do interior da Bahia, os representantes do governo (chefes de órgão e empresas publicas, Direc, Dires, Embasa, PM, PC, Sudic, etc...), são os mesmo que foram durante os governos carlistas, as alianças de Wagner com o ex-calismos e com o PP, reconduziu ou manteve os mesmos da panelinha do carlismo. Imagine vc levar anos defendendo o PT em uma cidade pequena, sofrendo todo tipo de perseguição do carlismo, quando o PT vence as eleições o governador vai e entrega os cargos aos mesmo que sempre estiveram lá... Ou seja, na grande maioria das cidades do interior não mudou nada e o militante do PT ficou desmoralizado... Isso é generalizado no interior...
Isso aí é fato. Wagner em alguns órgãos governa com oa viúvas do carlismo.
 
imagem de João Maria Fernandes de Sousa
João Maria Fernandes de Sousa
É isso Márcia, qualquer governante do DEM ou PSDB quando assume faz de cara uma verdadeira caça as bruxas do 2º ao 101° escalão e detona que não for da turma; os governantes do PT embarcam nessa onda de "pragmatismo" e "paz-e-amor" com o inimigo que fica só esperando a chance de os apunhalar pelas costas... e nem pense que Lula e Dilma foram 100% nesse quesito também, as estatais estão cheinhas e demotucanos-rochos em cargos chaves que torcem como nunca para uma volta deles ao Planalto e alguns sabotam na maior cara de pau todas as iniciativas positivas do Governo Federal no tocante a essas empresas.
imagem de Marcia
Marcia
Jaques Wagner não persegue ninguém e ainda dá cargos a ex carlistas de carteirinha.
Fico P da vida quando vejo umas sirigaitas carlistas em cargos de chefia, ai, como fico P da vida.

ABAIXO, UM EXEMPLO TÍPICO DE SIRIGAITA CARLISTA...QUE NÃO DESGRUDA DA BARRA DA CALÇA DO GOVERNADOR. ABRAM OS OLHOS COMPANHEIROS DE SALVADOR...PORQUE A TRAIÇÃO É A RAZÃO DE SER DESSES VERMES!

 
 

A JUSTIÇA PREVALECEU...PARABÉNS À BLOGOSFERA PROGRESSISTA; DEFENSORA DO DIREITO DOS MAIS FRACOS!.

Decisão mantém índios em terra guarani-kaiowá no MS


Do Ministério Público Federal

MPF comemora decisão que mantém índios em terra guarani-kaiowá no MS
O Tribunal Regional Federal da 3ª Região, em São Paulo, suspendeu operação de retirada dos índios guarani-kaiowá do acampamento Pyelito Kue, atendendo a pedido da Fundação Nacional do Índio, após intensa mobilização de cidadãos na internet. O Ministério Público Federal tinha feito o mesmo pedido e foi contemplado pela decisão de hoje.
“A mobilização das redes sociais foi definitiva para alcançar esse resultado. Provocou uma reação raramente vista por parte do governo quando se trata de direitos indígenas”, disse o procurador da República Marco Antonio Delfino de Almeida, que atua em Dourados. A situação dos guarani em Pyelito Kue se tornou assunto em todo o país quando os índios divulgaram uma carta em que se declaravam dispostos a morrer em vez de deixar as terras, assim que foram notificados do despejo pela Justiça Federal do Mato Grosso do Sul.
Pela decisão de hoje, os 170 indígenas podem permanecer em uma área de 2 hectares dentro da fazenda Cambará, em Iguatemi/MS, até que os trabalhos de identificação da terra indígena sejam concluídos. Relatório de Identificação e Delimitação da Terra Indígena falta ser publicado pela Funai. A desembargadora Cecilia Mello determinou o envio da decisão à presidente da República, Dilma Rousseff e ao ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo.
À Funai, a desembargadora determinou que “deve adotar todas as providências no sentido de intensificar os trabalhos e concluir o mais rápido possível o procedimento administrativo de delimitação e demarcação das terras”. Os trabalhos se arrastam há pelo menos 3 anos, quando a Funai assinou um Termo de Ajuste de Conduta com o MPF para examinar a questão territorial dos guarani-kaiowá.
Pyelito Kue
Os guarani-kaiowá de Pyelito Kue ocupam área de reserva legal da fazenda Cambará, em Iguatemi, sul de Mato Grosso do Sul, desde novembro de 2011. Os índios se refugiaram no local – situado do outro lado do rio que corta a região – depois de ataque de pistoleiros em agosto do mesmo ano. Crianças e idosos ficaram feridos e o acampamento, montado à beira de estrada vicinal, foi destruído. (Confira nota sobre o ataque efotos da travessia dos índios)
Nota técnica da Fundação Nacional do Índio (Funai) publicada em março deste ano concluiu que a área reivindicada pelos indígenas como Pyelito Kue e Mbarakay é ocupada desde tempos ancestrais pelas etnias guarani e kaiowá. “Desde o ano de 1915, quando foi instituída a primeira Terra Indígena , ou seja, a de Amambai, até os anos de 1980 – com forte ênfase na década de 1970 -, o que se assistiu no Mato Grosso do Sul foi um processo de expropriação de terras de ocupação indígena, em favor de sua titulação privada”.
Para o Ministério Público Federal “afastar a discussão da ocupação tradicional da área em litígio equivale a perpetuar flagrante injustiça cometida contra os indígenas em três fases distintas e sucessivas no tempo. Uma quando se lhes usurpam as terras; outra quando o Estado não providencia, ou demora fazê-lo, ou faz de forma deficiente a revisão dos limites de sua área e quando o Estado-Juiz lhes impede de invocar e demonstrar seu direito ancestral sobre as terras, valendo-se justamente da inércia do próprio Estado”.
Referência processual: Autos nº 0000032-87.2012.4.03.6006

ATENÇÃO, ATENÇÃO MORRO DO CHAPÉU: SIGA O EXEMPLO DESTA IMPORTANTE CIDADE PAULISTA!. Não podemos permitir que a quadrilha fique tranquila e impune. O aumento de salário dos poderes Executivo e Legislativo local: constitui uma afronta...à inteligência de todos nós. O MINISTÉRIO PÚBLICO NÃO PODE FICAR INERTE DIANTE DE TANTA ROUBALHEIRA.

QUADRILHA DO BABAliomar & CleoMAU...cujo patrão político é o deputado fisiológico JOSÉ CARLOS ARAÚJO, dono da rádio LARANJA de Morro do Chapéu.
 
piracicabanos

Por Adriano
Comentário ao post "Câmara de Piracicaba retira servidor durante leitura bíblica"
E vamos a mais notícias bastante preocupantes para a democracia em Piraicaba;
Do G1
MP vai levar ação sobre salário dos vereadores de Piracicaba ao TJSP
O Ministério Público de Piracicaba(SP) informou que vai recorrer da decisão do juiz Wander Pereira Rossette Júnior que negou liminar para derrubar o aumento de 66% nos salários dos vereadores, que vigora a partir de janeiro. Além de negar o pedido do MP, o juiz deu prazo de 15 dias para que a Câmara justifique o reajuste de R$ 6,5 mil para R$ 10,9 mil. A comunicação oficial da decisão ainda não ocorreu, mas o promotor João Carlos de Azevedo Camargo disse que pedirá a revisão da medida no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP).
O promotor do Patrimônio Público pediu a anulação do aumento por considerá-lo inconstitucional e acima do crescimento inflacionário que define o reajuste em outras classes profissionais. Para o MP, o valor mais apropriado para os parlamentares de Piracicaba seria de R$ 6,8 mil por mês. O inquérito foi instaurado em agosto e se tornou ação civil pública no início de outubro. Ao analisar nesta semana o pedido feito por Camargo, o juiz entendeu que não houve irregularidades no processo de aprovação dos salários para 2013 e rejeitou a liminar.
Depósito judicialCamargo informou que só poderá se manifestar depois que for notificado oficialmente sobre a negativa da liminar. "Depois de tomar ciência da decisão terei 20 dias para interpor o recurso, pedirei também liminar para depósito da diferença entre o subsídio atual e o que passa a valer no ano que vem em conta judicial antes mesmo da apreciação do mérito do recurso. Até porque a posse dos novos vereadores se avizinha", informou o promotor.TramitaçãoAo apresentar o recurso, Camargo poderá submeter suas argumentações à avaliação de três desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo. O processo segue na Justiça local em paralelo ao julgamento em segunda instância. Se uma decisão diferente da tomada por Wander Rossete ocorrer, não haverá aumento até que a ação tenha um desfecho definitivo.

imagem de Mario Blaya
Mario Blaya
a população reagiu e poucos vereadores conseguiram a re-eleição! os piracicabanos não aceitaram esse aumento, e muitos dos que foram eleitos assumiram um termo de compromisso para não ratificar esse aumento, esperemos para ver!!!!
 
 

VERGONHA!!!...QUATRO ''FAMIGLIAS MAFIOSAS'' CONTROLAM A INFORMAÇÃO NO BRASIL. Algo semelhante, só ocorreu na Nicarágua de SOMOZA, no Haiti de Papa Doc DUVALIER, na República Dominicana de TRUJILLO ou; no Paraguay de STROSSNER. Essa situação escandalosa não pode continuar...o Brasil precisa se modernizar e, adotar leis para o setor de telecomunicações; semelhante às Europeias e Estadunidenses. Esses bandidos, não podem seguir DITANDO E DECIDINDO ''O QUE É BOM PARA O PAÍS''. Porque o que querem mesmo: é que o Brasil siga sendo uma grande BANANA REPUBLIC.

Histeria da mídia é medo do fim do gigantismo

:
Ataques coordenados de Folha, Abril e Globo à aplicação na Argentina da Ley de Medios, aprovada no Congresso por Cristina Kirchner, ressaltam interdição que mídia tradicional do Brasil promove sobre o debate da reorganização do setor; o que os barões mais temem é regulação sobre a propriedade cruzada de veículos de comunicação; EUA fazem restrições a gigantismo de empresas do setor desde 1930

31 de Outubro de 2012 às 14:37

CULTURA: Pierre e Gilles batem recorde de público em Viena...superando até mesmo; o 'filho da terra', o inigualável GUSTAV KLIMT.


Vernissage dos artistas PIERRE E GILLES na  galeria POSTFUHRAMT BERLIM.
Stripped Bare por Thomas Koerfer

Ausstellung von Betinna Rheims
Berlin.


''VIVE LA FRANCE''... exposição no Leopold Museum Wien\Viena dos artistas francêses PIERRE E GILLES.







Homens nus causam frisson em Viena

HEINZ-PETER BADER: Visitors attend the preview of the art exhibition 'Nude Men' at the Leopold museum in Vienna October 18, 2012. The exhibition of around 300 art works, which runs until January 28, 2013, is designed to show how the depiction of male nudity has evolved in a
Exposição com obras dos artistas Pierre & Gilles, inspirada em corpos masculinos, atrai público maior do que as pinturas de Klimt na capital austríaca

30 de Outubro de 2012 às 18:21

NOTA PÚBLICA DO CTI

Nota pública do CTI sobre a questão fundiária Guarani-Kaiowá

É importante que essa comoção seja acompanhada de um conhecimento efetivo dos nós que emperram os processos de regularização das terras dos Guarani e Kaiowá
29/10/2012

É muito positiva e surpreendente a comoção que uma carta manifesto escrita pela comunidade Guarani Kaiowá da aldeia Pyelito Kue, localizada no complexo de Iguatemi Pegua, provocou na opinião pública em relação ao genocídio que há décadas se instalou contra os povos indígenas no Mato Grosso do Sul. Diversas pessoas que agora tomam conhecimento da situação inaceitável que enfrentam os Guarani e Kaiowá no cone sul do Estado têm se manifestado nas redes sociais repudiando o genocídio e a conivência de diversos setores dos governos estadual, federal e do Poder Judiciário. Personalidades públicas e entidades têm feito o mesmo. A repercussão do tema, embora não ganhe o espaço que deveria nos grandes meios de comunicação (também coniventes), traz a esperança de que uma ampla divulgação desta tragédia possa trazer a força que falta para a regularização das terras tradicionais reivindicadas pelos Guarani e Kaiowá no MS, única forma de resolução do conflito.
O que é surpreendente é que ações judiciais contra os indígenas no MS, despejos, assassinatos, violência e racismo são há muito o dia a dia dessas comunidades e nunca tanta gente se deu conta disso. Por isso, é importante que essa comoção seja acompanhada de um conhecimento efetivo dos nós que emperram os processos de regularização de suas terras, para que a vontade de ajudar não se esgote rapidamente, como costuma ser o caso, numa sensação de que o problema é insolúvel e numa descrença generalizada em relação à capacidade e disposição do poder público em quitar a dívida monstruosa que tem com os Guarani e Kaiowá.
É evidente que a regularização das terras indígenas no Mato Grosso do Sul, assim como ocorre em outros Estados, esbarra nos interesses e numa postura intransigente de parte dos ruralistas, que hoje têm peso enorme na correlação de forças dos governos federal e estadual, e, sobretudo, têm meios financeiros para exercer uma pressão esmagadora para que o Poder Judiciário emperre ao máximo os processos.
Esses são os dois nós que emperram os processos e que precisam ser desatados ao mesmo tempo para que os índios de fato tenham posse plena das terras: 1) a falta de prioridade orçamentária e política do Governo Federal para finalizar os estudos de identificação e delimitação das terras indígenas no MS; 2) a conivência do Poder Judiciário, muitas vezes curvado à pressão e aos interesses dos ruralistas no sentido de paralisar os processos, nas suas mais diversas fases.
Nesse contexto, o CTI acredita que seria preciso um mecanismo que permitisse “convencer” os proprietários de boa-fé a retirar as ações contra os processos de regularização das TIs e que ao mesmo tempo permitisse ao Governo Federal levar a cabo esses processos dentro dos marcos do artigo 231 da Constituição Federal de 1988 (leia mais). Ocorre que esse mecanismo já existe no Mato Grosso do Sul, e nenhum dos setores majoritários do Governo Federal que alegam ter interesse em resolver a questão se empenhou em utilizá-lo.
Fica evidente, portanto, que falta muita vontade política do Governo Federal e é preciso que a pressão da opinião pública se direcione no sentido de provocá-lo a usar dos mecanismos que já tem em mãos para resolver a questão.
Explicando melhor: o Governo do Mato Grosso do Sul aprovou a Lei Estadual nº 4.164/2012, que “autoriza o Poder Executivo a Criar o Fundo Estadual de Terras Indígenas”, o FEPATI. Esse mecanismo permite, sem qualquer alteração da Constituição de 1988, a criação de um fundo financeiro para indenizar proprietários de boa-fé cujos imóveis incidam sobre as terras indígenas no Mato Grosso do Sul. Pela Constituição de 1988, Artigo 231, § 6º, os títulos emitidos sobre terras tradicionalmente ocupadas são nulos e, portanto, os imóveis a que se referem não podem ser indenizados. Através dessa Lei o Estado do Mato Grosso do Sul implicitamente reconhece que emitiu títulos inválidos e pretende indenizar os proprietários de boa fé pagando-lhes pelo valor da chamada “terra nua” (posto que as “benfeitorias de boa fé” erigidas nos imóveis são indenizáveis pelo parágrafo 6º do artigo 231 da Constituição).
Esse nó da indenização da chamada “terra nua” tem motivado o Governo Federal, sobretudo o Ministério da Justiça, e os próprios ruralistas a justificar uma suposta necessidade de alterar a Constituição Federal de 1988 para resolver os conflitos mais acirrados envolvendo terras indígenas, como os do Mato Grosso do Sul. Com isso eles jogam uma cortina de fumaça no problema, fingindo buscar uma solução conciliatória, mas pretendendo na verdade restringir ainda mais os direitos dos povos indígenas no Brasil inteiro.
Mas uma possível solução já está nas mãos do Governo, por meio da recém aprovada Lei Estadual 4.164, e o Ministério da Justiça nada faz para tentar buscar recursos para o FEPATI e negociar com os proprietários de boa fé a retirada das ações judiciais. Ao contrário, é conivente com medidas de flagrante desrespeito aos índios, que só fazem aumentar o problema, como a polêmica e inconstitucional Portaria 303, da AGU.
Conclamamos todos a pressionar o Ministério da Justiça, a Casa Civil e a Presidenta para reunir seus esforços no sentido de buscar recursos para o FEPATI, e negociar a retirada das ações judiciais contra os índios! Se o problema é indenizar proprietários de boa-fé (que não são tantos assim, se forem julgados aqueles que realizam ou realizaram ações violentas contra os índios), a saída já está nas mãos do Governo. Qualquer alegação ao contrário, ou propostas irresponsáveis de alteração do artigo 231, são meras desculpas e devem ser combatidas.
Se houver interesse efetivo do Governo, uma campanha internacional para emponderar e angariar recursos para o FEPATI, negociando a retirada das ações judiciais, poderia contribuir decisivamente para garantir aos Guarani e Kaiowá a regularização e usufruto efetivo de suas terras tradicionais, resgatando a dignidade desses povos.

SENADOR TUCANO CHAMA OS SEUS PARES DE LADRÃO.

Senador tucano chama colegas de ladrões



Por Altamiro Borges

Não se sabe por que motivo, o senador Mário Couto (PSDB-PA) utilizou a tribuna do Senado hoje à tarde para chamar os seus pares de “ladrões”. Ele afirmou que a corrupção é generalizada na política brasileira e defendeu que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise a evolução patrimonial de todos os deputados e senadores. O tucano elogiou o julgamento do chamado “mensalão”, mas garantiu que as condenações são insuficientes. O discurso causou constrangimento e revolta entre os parlamentares.


“São dezenas ou centenas de parlamentares que estão aqui cheios de processos nas costas. Está escrito na testa: ladrão. Estão ricos porque roubaram do povo”, esbravejou Mario Couto, famoso por suas bravatas. De imediato, também não se sabe por que razão, o tucano Álvaro Dias (PR) tentou abafar o discurso do seu correligionário. “Ele não fez referência a nomes. Não acredito que ele tenha generalizado. Talvez não tenha sido bem entendido”. Já outros parlamentares exigiram que o tucano desse nome aos bois.

Será que o senador sabe alguma coisa sobre o milionário financiamento de campanha bancado pelos latifundiários e grileiros do Pará? Será que ele conhece algo sobre o desvio de grana no processo da privataria no reinado de FHC? Será que outros “ladrões” estão metidos com a máfia do Carlinhos Cachoeira? Por que Mario Couto está tão revoltado? É somente mais uma de suas bravatas ou ele sabe de algum esquema mais cabeludo? A Comissão de Ética do Senado devia convocá-lo e exigir explicações.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O RESPEITADO JORNAL ARGENTINO PAGINA\12, EXPLICA O 'FENÔMENO LULA': AOS SEUS LEITORES DA REPÚBLICA IRMÃ. O BLOG MNSC AGRADECE À TODOS\AS QUE NOS ENVIARAM NOTAS DE SOLIDARIEDADE PELA NOSSA HUMILDE CONTRIBUIÇÃO À CAMPANHA DO PREFEITO HADDAD....EXPONDO DIARIAMENTE O FASCISMO DO PASTOR PILANTRA SILAS MALAFAIA....E SEUS CONGÊNERES NA MÍDIA MAFIOSA. FIZEMOS APENAS A NOSSA OBRIGAÇÃO CÍVICA.

Lula, o construtor de vitórias

Nas eleições municipais de São Paulo vencidas ontem pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva confirmou ser o único presidente latino-americano que mantem intacta sua influência e a capacidade de conduzir as linhas de um projeto de poder de longo prazo. Basta fazer uma comparação rápida pelo continente para demonstrar a tese. Se a eleição de Dilma Rousseff há dois anos se deveu em grande parte ao ex-mandatário, a de Haddad foi uma obra que ele projetou e montou peça por peça desde o início, sob o olhar incrédulo da maioria, inclusive dentro do PT. O artigo é de Darío Pignotti, do Página/12.

 
(*) Artigo publicado originalmente no jornal Página/12 (Argentina).

Brasília - Nas eleições municipais de São Paulo vencidas ontem pelo PT, seu líder Luiz Inácio Lula da Silva confirmou ser o único presidente latino-americano que mantem intacta sua influência e a capacidade de conduzir as linhas de um projeto de poder de longo prazo. Basta fazer uma comparação rápida pelo continente para demonstrar a tese. Há três meses, o presidente mexicano Felipe Calderón Hinojosa fracassou em sua tentativa de fazer com que sua agrupação, o direitista Partido Ação nacional, continuasse no poder no próximo mandato. Na Colômbia, o ex-presidente Álvaro Uribe viu seu projeto de poder belicista ser arquivado por seu sucessor, Juan Manuel Santos, um direitista envolvido hoje no diálogo de paz com a guerrilha das FARC.

A eleição de Fernando Haddad foi, sem dúvida, um triunfo da perspicácia política do ex-mandatário.

Comunicando-se por momentos com sinais devido a um tumor na laringe, Lula convenceu a cúpula do PT, há um ano, para que o até então pouco conhecido Fernando Haddad, fosse o candidato à prefeitura de São Paulo. Estava só. Os médicos tinham diagnosticado seu câncer no dia 28 de outubro de 2011. No dia 30 começou as sessões de quimioterapia e, na mesma semana, chamou seus companheiros para conversar sobre a ideia que vários viam como um capricho: a postulação desse graduado em Direito, Economia e Filosofia, autor de uma tese de doutorado sobre novas leituras de Marx, que nunca havia disputado um cargo majoritário. Finalmente, a direção petista acatou a candidatura do afilhado político de Lula em novembro do ano passado e a oposição ligada ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, líder do Partido da Socialdemocracia Brasileira (PSDB) comemorou antecipadamente o que imaginou seria uma derrota humilhante do PT nas eleições nesta cidade-estado de 11 milhões de habitantes que é São Paulo.

Dono se uma sensibilidade política impar, Lula se envolveu não só na defesa desse professor de 49 anos, que foi eleito ontem com mais de 56% dos votos, mas na nacionalização da eleição. Era praticamente o único petista convencido que seu partido era capaz de vencer em São Paulo e desferir assim um golpe no fígado da direita que havia feito da maior metrópole sulamericana uma trincheira ao projeto iniciado em 2003 com a chegada do maior partido da esquerda latino-americana ao Palácio do Planalto.

Essa obstinação colocou Lula a beira do ridículo midiático.

Desde o interior da empresa de entretenimento, notícias e desinformação Globo, o partido de fato cujo norte político tem sido atacar o governo petista da maneira que puder, surgiu a interpretação disseminada com força viral nos círculos políticos, de que o ex-torneiro mecânico estava debilitado por sua enfermidade e isso tinha feito feito com que ele perdesse o sentido da realidade ao pretender que o “poste” Haddad se tornasse um candidato viável.

A Globo baseava sua argumentação em um dado correto, o de que o postulante à prefeitura era um nada eleitoralmente, já que há 90 dias,
somente 3% dos paulistanos sabia de sua existência.

Ao longo da campanha, a Globo tratou Haddad com o mesmo script adotado em 2010 quando sua linha editorial foi mostrar a então candidata presidencial Dilma Rousseff como uma “ex-terrorista” sem luzes, tese urdida por Fernando Henrique Cardoso que a tratou como uma “marionete de Lula”. Cardoso e a Globo erraram o diagnóstico: Dilma demonstrou ter identidade própria e venceu as eleições presidenciais com 56 milhões de votos, derrotando Serra, do PSDB, o mesmo candidato que ontem foi derrotado por Fernando Haddad, em São Paulo.

Se a eleição de Dilma Rousseff há dois anos se deveu em grande parte ao ex-mandatário, a de Haddad foi uma obra que ele projetou e montou peça por peça desde o início, sem contar com a visibilidade que lhe dava o exercício da presidência.

Lula é um construtor obcecado e é o verdadeiro vencedor da eleição de ontem, a qual chegou a definir como uma “guerra” diante do bloco conservador que havia tomado como bandeira de campanha o escândalo de corrupção conhecido como “mensalão”, ocorrido durante seu governo entre 2003 e 2005.

A quimioterapia afetou o timbre de sua voz, mas isso não o impediu de participar como um militante de base em dezenas de atos em favor de Haddad e de dezenas de candidatos a prefeituras em todo o país antes do primeiro turno de 7 de outubro. Após um breve recesso em 17 de outubro quando viajou a Buenos Aires para reunir-se com a presidenta Cristina Fernández de Kirchner, no dia 19 Lula já estava animando outro comício em São Paulo na reta final do segundo turno realizado neste domingo.

A vigência política de Lula logo depois de deixar o governo é outro dado pouco usual na América Latina: nas recentes eleições presidenciais do México, o presidente Felipe Calderón foi derrotado pela oposição. Algo similar ocorre na Colômbia, onde o ex-presidente Álvaro Uribe viu seu projeto de guerra ser deixado de lado por seu sucessor Juan Manuel Santos em troca dos incipientes diálogos de paz com as FARC.

“Quero agradecer do fundo do meu coração ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sou grato ao presidente Lula pela confiança e o apoio sem os quais teria sido impossível vencer essa eleição”, disse Haddad diante de seus correligionários que se preparavam para os festejos na Avenida Paulista.

Haddad também agradeceu à presidenta Dilma que, na sexta-feira, havia
participado de uma festa privada por ocasião do aniversário de Lula que, no sábado, completou 67 anos.

O triunfo em São Paulo e o bom desempenho do partido governante nos 5.568 municípios que realizaram eleições em 7 de outubro, dos quais 50 tiveram segundo turno ontem, também foi uma vitória para Dilma, de 64 anos, ao cumprir a primeira metade de seu governo.

Haddad conquistou a confiança de Lula graças à sua gestão como ministro da Educação entre 2005 e 2012, quando implementou um programa de bolsas para estudantes pobres, o Prouni, que permitiu que cerca de um milhão de jovens chegassem à universidade. Agora deverá demonstrar que é competente para governar São Paulo e, se o fizer, confirmará seu nome como uma referência da nova geração petista, essa que Lula imagina, poderá governar o país na próxima década. Essa é a aposta de longo prazo do fundador do PT.

@DarioPignotti

Tradução: Katarina Peixoto


Fotos: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

>> INSIRA SEU COMENTÁRIO >>
COMENTÁRIOS (10 Comentários)
OpiniãoComentárioAutorData
Essa vitória ninguém tira d... Márcia 29/10/2012
Parabéns Lula. Espero que e... Fernando 29/10/2012
Agora vai..rsrs Abaixo ass... Francy Granjeiro 29/10/2012
Além, é claro, de aplaudir ... C. Paoliello 29/10/2012
Incrível a capacidade desse... Piragibe Silva Bor... 29/10/2012
Como dice a Cibele o ex-pre... Eduardo 29/10/2012
Maior líder político do Bra... Ricardo Oliveira 29/10/2012
O verdadeiro líder não é o ... Celso 29/10/2012
Lula é um construtor de son... Maria Amélia Marti... 29/10/2012
Excelente! O Ex-presidente ... Cibele 29/10/2012

ME ENGANA QUE EU GOSTO! A ''NOMENKLATURA'' DO PT BAIANO PRECISA DE 'CHEIRO DE POVÃO'. E NÃO É NO CORREDOR DA VITÓRIA QUE ISSO ACONTECE. PORTANTO; ACORDA GOVERNADOR!.

Wagner minimiza efeitos das greves na derrota

Divulgação: Wagner, eleições, greves
Governador associou o resultado negativo para o PT à vinculação, segundo ele, feita pelos eleitores à má administração do prefeito João Henrique (PP); "Tem problema da prefeitura atual de Salvador que, em muitos momentos, foi entendido como uma prefeitura nossa. Acharam que nós éramos os responsáveis"

29 de Outubro de 2012 às 13:08

ATENÇÃO, ATENÇÃO PT DE MORRO DO CHAPÉU E DE TODA BAHIA! LEAM COM ATENÇÃO O QUE ESCREVEU HOJE (EM UM DOS MAIORES BLOGS PROGRESSISTAS DO EIXO RIO-SP), UM DOS NOSSOS COLABORADORES. OU, A CÚPULA DO PT BAIANO SE DISTANCIA DAS RATAZANAS EX-CARLISTAS (SEUS ATUAIS ALIADOS), OU: TEREMOS SURPRESAS SIMILARES ÀS QUE TIVEMOS EM SALVADOR...NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES. O CARLISMO, É UM CÂNCER QUE NUNCA FOI CURADO. A PROVA, É O RESULTADO DO CERTAME ELEITORAL DE ONTEM NA CAPITAL DO ESTADO.

BLOG VIOMUNDO

Leitor: Em governo trabalhista de Jaques Wagner, professor passou fome.

publicado em 29 de outubro de 2012 às 16:53

por Andre, em comentário aqui

E salvador ficou menor
E o reinado de acm II já começou com uma gafe imperdoável. Explico. No seu discurso da vitória, o alcaide recém eleito esqueceu de agradecer ao seu maior cabo eleitoral: o governador Jaques wagner. O único dos grandes governadores do nordeste que não conseguiu eleger o seu candidato e, portanto, maior derrotado das urnas abertas ontem.
Com certeza, os 5 pontos que separaram pelegrino I do cobiçado trono da Roma negra, podem tranquilamente serem imputados à maior e mais desastrosa greve dos professores que esse estado já viu. Para quem não lembra, foram quase 4 meses sem aulas.
Onde governo e sindicato, comandado pelo pcdob, entraram numa queda de braço inédita que só prejudicou a sociedade em três dos seus elementos mais sensíveis: crianças, professores e mães de família. Essa greve, muito mais do que aquela da polícia às vésperas do carnaval, deixou sequelas gravíssimas no ponto em que o PT mais tenta se diferenciar dos outros partidos: a sensibilidade social.
Venho de uma família de classe média baixa e lá, nas questões políticas, meus pais e irmãos, com raras exceções, sempre fecharam com Lula e o PT. Por uma questão mais de identificação do que de ideologia. Mas, ao contrário de outras eleições, o que eu pude ver em minha própria casa foi o nascimento de um antipetismo histérico do qual eu ouvira falar que só existia nos salões mais nobres do reino de higienópolis.
Jamais aqui, tão perto e numa casta tão desprivilegiada. Esse sentimento gerou fenômenos estranhos. Se em outros anos eu conseguia dobrar os votos direitistas de um ou outro da família, esse ano eles é que tentaram dobrar o meu. Estranho…
Fui tentar entender o fenômeno. Comecei pelo mais óbvio. Minha mãe é professora. Dedicada, doada ao seu ofício, destas que fazem falta hoje em dia e que poderiam ser a ponte necessária para mudar a educação nesse país. Durante meses de greve, ela e colegas tiveram que doar alimentos para as cestas básicas das colegas que tiveram seus salários cortados e estavam passando fome. Sim: no governo do trabalhista jaques wagner havia professores estaduais com ponto cortado passando fome!
Quando, conversando com minha mãe, soube dessa situação, além de, perder argumentos e sentir tristeza, pensei com os meus botões “essa eleição está perdida”.
jaques wagner é um governador estranho. De militante, sindicalista pé no chão e na porta da fábrica, se transformou num dos governadores mais ausentes que minha curta existência pode perceber. Depois que chegou ao poder, nunca o vi andando pelas ruas da cidade, visitando bairros, conversando com o povo. Mudou muito…
Ao invés de estimular o rejuvenescimento e o arejamento do partido, de quadros limitados, na Bahia, preferiu juntar-se a figuras eméritas no antigo carlismo que sempre combateu como Otto Alencar, Cesar Borges, Gedel e que tais.
Soube que comprou um belo apartamento na vitória, o qg da sociedade mais tradicional da Bahia, soube também que anda de helicóptero frequentemente, como forma de fugir do trânsito caótico que o nosso povo enfrenta hoje em salvador, e em véspera de eleição promoveu um mega casamento para o seu enteado (também na vitória, reduto da nossa mais tradicional burguesia), com a ilustre presença da nossa querida presidenta.
Quando falei que ele era um cara estranho no começo do parágrafo, não foi por nenhum desses fatos narrados, que isso fique bem claro, mas pela simples constatação de que talvez ele ache que o povo não vê as coisas.
eduardo campos é um cara ambicioso. Mas talvez ele possa e deva ser. Seu governo tem a marca do desenvolvimento, da inovação, do crescimento do seu estado. Os irmãos gomes são orgulhosos do seu estado. E talvez eles possam e devam ser. Seu governo tem a marca da transformação na educação e de uma gestão muito bem pensada. jaques wagner…
Bem, espero que o PT, que é o partido para o qual eu voto, comemore bastante a vitória de Haddad, mas também perca alguns minutos para refletir sobre a derrota no nordeste e, em especial na Bahia, quarto maior colégio eleitoral do país e o único grande estado da região controlado pela legenda.
Que o partido exija a renovação dos quadros e não aceite esse jogo de comadres onde só se revezam nomes como wagner, pelegrino e pinheiro. Sempre esses, sempre em alternância. Que o partido aqui inspire juventude e volte a andar mais perto do povo. Ou então veja o carlismo renascer e tomar conta de tudo – o que hoje é uma forte tendência.
Que Lula e Dilma, venham mais para mostrar de verdade quanto gostam do nosso povo, trazendo investimentos, novidades, para resolver problemas e não apenas em época de eleição. Pois esse truque de fazer uma administração qualquer, distante do povo e depois na eleição dizer “sou do time de lula e dilma” por si só não funciona mais. Se quer alinhamento total de mostrar e provar que ele fez bem pra cidade, pro estado.
Quero poder ter motivos reais para dar à minha família para que ela volte a votar no PT novamente. Motivos dos quais me orgulhe e que não seja a propaganda vazia e gritante que o governo do estado faz hoje aqui.
PS: para manter os fatos narrados nesse post mais próximos da realidade, o nome de quase todos os personagens foram grafados em caixa baixa.
Leia também:
O mito sobre a fragilidade do PT, de 18.09.2012
O discurso de vitória de Fernando Haddad
Bonifa: Só carisma de Lula não basta para vencer no NE
Leitores atribuem derrota do PT em Salvador a Jaques Wagner
Merval Pereira: O mito e os fatos
Vereador sugere que Serra vem aí
PT mantém cinturão vermelho em SP
E a Globonews consegue derrotar Lula…
Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social

8 Comentários para "Leitor: Em governo trabalhista de Jaques Wagner, professor passou fome.


seg, 29/10/2012 - 18:21 Narr disse:
A lógica é simples. Se o governante de esquerda é bem intencionado mas é um desastre administrativo, então é melhor tentar o governante de direita que pelo menos sabe administrar. E como vivemos o regime democrático, todos sabem que o governante antigo, biônico, eleito com voto indireto, que portanto não precisava prestar contas ao povo, esse desapareceu. Mesmo quando o cara é de direita ele precisa atender minimamente os interesses do povão, senão perde a reeleição. É por isso que o povo pode votar racionalmente na direita, porque na prática poderá ser melhor para ele mesmo. Entre o abstrato "companheiro, apoiemos a esquerda" e o concreto melhorar de vida com medidas práticas, a opção racional é óbvia. A esquerda tem que aprender que agora vive na democracia. A democracia tornou a direita menos de direita do que antes. Em muitos casos fica até difícil ver a diferença. Fazer escolas públicas o udenista Carlos Lacerda fazia na Guanabara, antes de apoiar o golpe de 64. A esquerda vai precisar reiventar parte de sua agenda, de suas ações. Senão, vai perder feio mesmo. Embora, sempre há um mas, embora isso tudo talvez não pese tanto assim na eleição presidencial. Ainda.

seg, 29/10/2012 - 18:11 roberto gimenes disse:
essa derrota em Salvador tem tudo a ver com as atitudes brutais do desgovernador jaques vagner qd da greve justa dos professores e a greve dos policiais , que foram tratados igualmente que nem os de s.p. pelo josé serra .

seg, 29/10/2012 - 18:00 Jaimão disse:
É uma grande verdade, André. O PT vem se divorciando do povo, e não é só na Bahia não, aqui em SP também. O PT ainda está por provar-se porque até agora só tivemos continuismo tucano. A Dilma (o Lula também) hesita em fazer reformas profundas para beneficiar a população mais fraca com medo da reação da direita raivosa. E assim segue com a agenda dos velhos coronéis do poder. A vitória na prefeitura de SP deveu-se muito mais à rejeição do Serra do que por méritos do PT. Por pouco o povo não elege outro rejeitado (Russomano) só para fugir do petismo enganoso.

seg, 29/10/2012 - 17:58 Mariac disse:
Sim.Criticar para melhorar.

seg, 29/10/2012 - 17:49 José Eduardo disse:
Sou do Rio, mas quando vi a cadeira de prefeito Baiano ser entregue a um herdeiro de ACM..
fiquei meio perplexo…o que o amigo diz de seu governador faz muito sentido e me fez entender bem o que se passou por aí. Se o Lula, a Dilma e os lideres petistas não ficarem atentos, mas anéis cairão. O pseudo aliado aqui do Rio, o Pmdebista, Cabral é um cara q ficou muito deslumbrado com a riqueza e poder e se bamdeou para as elites, podemos então intuir que foram picados pela mesma mosca branca e estão muito parecidos ele e o Wagner. A diferença entre Cabtal e Wagner se situa no campo ideológico de um e outro. E sobre o segundo pesa a tradição e a origem petista (trabalhadora) logo ele deve reconhecer os erros e retomar o caminho.
E infelizmente os anéis perdidos não passão ao Psol ou outro mais a esquerda e sim a velha corja direitista e seu assistencialista hipócrita.

seg, 29/10/2012 - 18:05 Willian:
Quando Cabral não foi das "elites"?
Responder

seg, 29/10/2012 - 17:38



Responder
seg, 29/10/2012 - 17:35 Aguiar disse:
Caro André

Podemos chorar a desgraça juntos, pois em Aracaju o DEM também voltou a governar a cidade. E o fenômeno é o mesmo que você tão bem descreve sobre Salvador, o governador Marcelo Déda resolveu virar as costas para o povo, e governar dentro da lógica dos grupelhos, para ficar no poder. Pois é, faltou combinar com os russos.

Acima, a prova viva do que falamos. Vejam quem estava ao lado do Governador, quando de sua recente visita à Morro do Chapéu. TODOS, CAMALEÕES EX-CARLISTAS DE CARTEIRINHA. Sem mencionar; que alguns SÃO BANDIDOS MESMOS.
Me respondam, que respeito tem\terá (aqui na terrinha e região) alguém que faz de um político pilantra do calibre de ZÉ CARAMUJO...seu aliado e representante no.UNO?  Vejam bem as fotos das peças que participam desse convescote de ex-carlistas. Ali BabALIOMAR, Dom CORLEGOMES, CleoMAU e cia iltda. A maioria bandidos...NOTÓRIOS LADRÕES DE DINHEIRO PÚBLICO. O revoltante é, que, nós que o elegemos: somos DESCARTADOS como papel higiênico. 
 

POUCO A POUCO: O BRASIL DESCOBRE O SEU PASSADO SUJO. ONTEM, O FASCISMO FOI DERROTADO EM SÃO PAULO; MAS REAPARECEU EM SALVADOR. E ISSO É MOTIVO DE PREOCUPAÇÃO PARA TODAS\OS QUE SONHAM COM UM BRASIL MAIS JUSTO. O HEROISMO E MARTÍRIO RETRATADOS NESSA HISTÓRIA FASCINANTE QUE NOS BRINDA A CINEASTA E ATRIZ PORTUGUÊSA MARIA DE MEDEIROS: DEVEM SER HONRADOS ETERNAMENTE, POR TODOS NÓS BRASILEIROS. RESÍDUOS DA DITADURA CIVIL-MILITAR METAMORFOSEARAM-SE...E CONTINUAM PILHANDO O NOSSO PAÍS. A PROVA VIVA, FOI A VITÓRIA RECENTEMENTE (AQUI EM MORRO DO CHAPÉU), DA QUADRILHA SUBALTERNA AO DEPUTADO FISIOLÓGICO JOSÉ CARLOS ARAÚJO E, ONTEM; A DE SEU EX-COLEGA DE PARTIDO, O NETO DE TOINHO MALVADEZA. ''REPARE BEM'', É UM DOCUMENTÁRIO QUE DEVERIA SER MOSTRADO EM TODOS OS RINCÕES DESTE SOFRIDO BRASIL. PORQUE OS NOMES DOS HOMENS E MULHERES QUE TOMBARAM EM NOME DA JUSTIÇA SOCIAL, DEMOCRACIA E LIBERDADE: NUNCA DEVEM SER ESQUECIDOS.


MARIA DE MEDEIROS FALA SÔBRE O DOCUMENTÁRIO ''REPARE BEM''.




“Repare Bem" conta história de uma família perseguida pela ditadura brasileira

Filme de Maria de Medeiros mergulha no período da ditadura militar brasileira focalizando a dramática história de uma família perseguida. Documentário, que participa da 36ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, resgata a trajetória da família de Denise Crispim, sua filha Eduarda Ditta Crispim Leite e seu ex-companheiro Eduardo Leite, o “Bacuri” (foto), torturado por 109 dias e assassinado pelos militares.

São Paulo - Como um convite à verdade e ao passado submerso de histórias pessoais atravessadas pelo regime ditatorial brasileiro nos anos 1970, o documentário “Repare Bem”, de Maria de Medeiros, chega às telas de cinema dentro da 36ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. O filme estreou terça (23), no Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca, seguindo para a sala 1 da Livraria Cultura na quarta (24), para a Sala BNDES da Cinemateca no sábado (27) e, por último, para o Cinesesc na segunda (29).

O filme, de noventa e cinco minutos, foi gravado no Brasil, Itália e Holanda, entre janeiro e outubro de 2011, resgatando a trajetória da família de Denise Crispim, sua filha Eduarda Ditta Crispim Leite e seu ex-companheiro Eduardo Leite, o “Bacuri”, torturado por 109 dias e assassinado pelos militares. Os relatos e personagens da trama desvelam os aspectos mais cruéis desse período da história brasileira, em um documentário que contribui para os crescentes debates sobre o resgate da memória no Brasil e a reparação das famílias brutalizadas pelo Estado.

Realizado pelo Instituto Via BR com recursos da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça do Brasil, o documentário também expõe a atuação dessa Comissão, seus desafios e prioridades no processo de reparação das famílias das vítimas da ditadura.

“Repare Bem” integra o projeto “Marcas da Memória” da Comissão de Anistia, tem parceria da Cinemateca Brasileira e apoios da Fadepe-JF (Fundação de Apoio e Desenvolvimento do Ensino da Pesquisa e Extensão de Juiz de Fora), CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação), Fitee (Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino), Sindicomerciários Caxias do Sul (Sindicato dos Empregados no Comércio de Caxias do Sul) e Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias do Sul e Região.

Um mergulho profundo na história brasileira
Tratou-se de postar as câmaras diante de Denise Crispim e de sua filha, Eduarda Ditta Crispim Leite, e de receber com enorme emoção os seus extraordinários testemunhos. Foi em Roma e em Joure, no norte da Holanda, bem longe do Brasil. No entanto, as suas palavras, que falam de exílio e de memória, levam-nos a um mergulho profundo na história brasileira, dos anos 70 até a atualidade.

Denise Crispim já nasce clandestina em 1949. Seus pais, extremamente politizados, toda a vida lutaram por uma sociedade mais justa e são por isso perseguidos por sucessivas ditaduras. Aos 20 anos, Denise conhece o jovem guerrilheiro Eduardo Leite, “Bacuri”, famoso por sua valentia e audácia, e com ele entra em uma militância mais arriscada. Denise está grávida de seis meses quando cai nas mãos do aparelho repressivo. Seu irmão Joelson acaba de ser assassinado aos 22 anos pela polícia, sua mãe, Encarnación, está presa.

Pouco antes do nascimento da pequena Eduarda num hospital militar, rodeada de policiais, Eduardo Leite, seu pai, é também preso, torturado barbaramente durante 109 dias e assassinado. Com a sua criança recém nascida nos braços, Denise consegue asilo político na embaixada chilena e de lá viaja para Santiago, onde reencontra seus pais, ambos exilados nesse momento. Porém, a família é de novo apanhada por um golpe de Estado militar, o de Augusto Pinochet. Cada um se refugia como pode em diversas embaixadas e Denise e Eduarda acabam por fugir para a Itália.

Denise, sobrepondo-se a muito sofrimento, reconstrói sua vida em Roma onde Eduarda cresce como uma jovem italiana. Hoje, ambas foram anistiadas pela Comissão de Anistia e Reparação no Brasil. Eduarda, mãe de duas meninas e residente na Holanda, recebe o valor simbólico desta “Reparação” como o dom de uma nova vida. O relato de suas histórias convida-nos a uma reflexão sobre os movimentos ideológicos e a luta pela justiça entre a “Velha Europa” e as Américas.

O trabalho de Maria de Medeiros
Cineasta, atriz e cantora, a portuguesa Maria de Medeiros, é reconhecida no cinema por estrelar clássicos como Pulp Fiction (1994), Henry & June (1990), por dirigir o premiado Capitães de Abril (2000) e outros quatro filmes. Já recebeu o Globo de Ouro nos Estados Unidos e a Coppa Volpi em Veneza, ambos como melhor atriz.

Interessada no tema dos direitos humanos e das resistências populares, teve Capitães de Abril indicado ao festival de Cannes, vencedor do Globo de Ouro (2001) e da Mostra Internacional de São Paulo (2000) como melhor filme. O longa retrata a Revolução dos Cravos em Portugal. Maria de Medeiros foi nomeada Artista da UNESCO para a Paz em 2008, sendo a primeira portuguesa a assumir este papel.

Serviço

Estréia do documentário “Repare Bem” de Maria de Medeiros 2012, 95 minutos (Brasil – França – Itália)

36ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo


23 de outubro às 21h no Espaço Itaú de Cinema – frei Caneca Sala 124
24 de outubro às 17h40 na Livraria Cultura – Sala 1
27 de outubro às 19h50 na Cinemateca – Sala BNDES
29 de outubro às 14h no CINESESC
 
Acima vemos a sensualíssima MARIA DE MEDEIROS (no papel da escritora ANAÍS NIN)  numa cena 'calientíssima' na qual, a mesma seduz o escritor estadunidense HENRY MILLER, e, é praticamente deflorada - no meio dum salão de baile, na festiva PARIS dos anos que precederam a segunda Grande Guerra.
Henry Miller, June (sua esposa) e Anaís Nin; formavam UM TRIÂNGULO AMOROSO...uma espécie de "Cavaleiros\Amazonas da Santíssima Trindade"...algo parecido com aquela história de cordel que circula clandestinamente aqui em Morro do Chapéu...sôbre uma figurinha carimbada; que VIVE AMEAÇANDO tirar Deus e todo mundo do ARMÁRIO: MENOS A SI PRÓPRIO rsss.
'TRÓPICO DE CÂNCER', celebrada obra do supra mencionado autor, deveria ser leitura obrigatória para os REPRIMIDOS MOÇOILOS HOMOFÓBICOS locais...especialmente; para o Chantagista\Macartista fajuto...que usa concessão pública para ameaçar-nos. 
Cena romântica entre as duas CALIENTES DAMAS...em um CLUBE SÁFICO DE PARIS.