segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

DEPUTADO FISIOLÓGICO JOSÉ CARLOS ARAÚJO ATACA E TENTA RIDICULARIZAR O RESPEITADO RADIALISTA LÉO RICARDO

O DESMORALIZADÍSSIMO DEPUTADO FISIOLÓGICO ESTÁ BRAVÍSSIMO COM O PREFEITO E COM O SEU IRMÃO ANTONIO GABRIEL.
Quem tem paxola para desperdiçar tempo escutando as abobrinhas que o  citado deputado fala diariamente em sua rádio LARANJAnte FM, nos relata que, o dito cujo; anda retado com o prefeito (por SUSPEITA DE DESOBEDIÊNCIA POLÍTICA)...e, com o seu irmão Antônio Gabriel... por permitir a DEMOCRACIA e\ou pluralidade de opinião em sua rádio comunitária DIAMANTINA FM.
O DITADOR FAJUTO detesta Democracia...e não admite o contraponto às suas constantes mentiras.
Graças ao blog MNSC, hoje, o povo de Morro do Chapéu e região, aprenderam a IDENTIFICAR POLÍTICO PICARETA...do quilate desse deputado medíocre. O dito cujo foi considerado o PIOR DEPUTADO DO ANO 2012... segundo o Gallup. 
Essa onda de ataques latentes contra a família do atual prefeito, começou desde que sua rádio LARANJA passou a perder audiência - aqui na cidade - para a rádio comunitária DIAMANTINA.
Gente, esse fim-de-semana o homi parecia estar possesso pela  pomba-gira. Berrava histericamente contra o PT, seu colega de partido EDSON PIMENTA, ÉRICO SAMPAIO, LÉO RICARDO e, sobretudo; contra o prefeito (DE QUEM SUSPEITA DESLEALDADE) e seu irmão Toinho. 
DITADOR FAJUTO amplia sua lista de desafetos em Morro do Chapéu: agora, além do blog MNSC e do RESPEITADO E ADMIRADO VEREADOR Antonio Bento; a lista agora inclui LÉO RICARDO, EDUARDO LESSA e, até a família do atual prefeito Cleová Barreto.
O PICARETA SE DEU CONTA DE QUE REPRESENTA UM FARDO POLÍTICO que, nem MESMO vereador aqui na cidade: se aventura a carregar.
O atual prefeito QUASE PERDEU A REELEIÇÃO  ...porque a maioria dos eleitores o identificava como moleque de recados...DESTA FIGURA DECADENTE.
ABRA OS OLHOS CLEOVÁ...SIGA O EXEMPLO DO RESPEITADO VEREADOR ADRIANO PÉLA-FRANGO...dá um pé na bunda desse velho bundão !  Esse cidadão é um ZERO À ESQUERDA...que só faz é reduzir o QUE AINDA TE RESTA DE CREDIBILIDADE POLÍTICA.

JOSÉ CARLOS Aleluia (Aquele BOÇAL DESMORALIZADO - ex-deputado do partido mais corrupto do Brasil - que vivia protestando contra as centenas de HONRARIAS INTERNACIONAIS CONCEDIDAS AO PRESIDENTE LULA) E O EX-GENRO DE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO ESTÃO ENTRE OS BENEFICIADOS DO ESQUEMA DE APARELHAMENTO DA LIGHT


Jungmann de PE, Aleluia da Bahia, Zylbertajn (ex-genro de FHC), todos aparelhados na Light por Aécio

Aécio provoca Apagão na Light, aparelhando com políticos demotucanos do racionamento
http://www.light.com.br/web/institucional/empresa/conselho/teconselho.asp?mid=8687942772267230
Aécio arrumou uma boquinha na Light para políticos demotucanos que moram na Bahia e em Pernambuco, mesmo a empresa sendo no Rio. O ex-genro de FHC, David Zylbersztajn (PSDB-RJ), que está em todas, também está lá.
Aécio Neves (PSDB-MG), quando era governador, usou a CEMIG para comprar o controle da Light (distribuidora de eletricidade no Rio).

Aparelhou a empresa com políticos compadres do DEM, PSDB e PPS. Resultado: Privataria Tucana e APAGÃO!

Está explicado Aécio ser contra a CEMIG baixar a conta de luz.

Os demotucanos são uma mãe para banqueiros e investidores. Primeiro privatizaram a Light na bacia das almas, dizendo que a iniciativa privada iria investir na empresa. Depois do apagão do racionamento de 2001, depois de subir tarifas, depois que tiraram o lucro sem investir, Aécio Neves (PSDB-MG), quando era governador, comprou de volta o controle da empresa sucateada, ao preço que o Grupo Andrade Gutierrez quis vender.

Mas os problemas não acabaram. A empresa continua sucateada, a terceira pior entre 33 do Brasil no ranking da ANEEL. Bueiros explodiram nas ruas. Vive faltando luz em diversos bairros do Rio e, agora, até nos Aeroportos. É nisso que dá o choque de gestão demotucano.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

SENADOR MADEMOISELLE ÁLVARO BOTOX DIAS... FOI MAIS UMA VEZ DESMASCARADO


FALSO MORALISTA! CARA-DE-PAU! 
GOLPISTA HIPÓCRITA!
TITICA: "OUTRORA FOI BAILARINA, AGORA SOU UMA MENINA MÃO DE GATO"

TITICA - ''OLHA A BONECA!''


Agora a casa do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) caiu, e com um empurrãozinho da própria revista Veja (sem querer).

O senador é réu em um processo judicial de disputa patrimonial, movido por uma filha, reconhecida através de exames de DNA. O processo poderia ser apenas mais um entre tantos, sem maior interesse público, não fosse o valor de R$ 16 milhões em causa, pois o senador tucano declarou à Justiça Eleitoral (e ao eleitor) ter um patrimônio de R$ 1,9 milhão, na última eleição que disputou. O aparecimento desta súbita fortuna causou perplexidade à nação brasileira, que pergunta: como o senador, da noite para o dia, aparece como um dos parlamentares mais ricos do Brasil?

Detalhe: o processo não está em segredo de justiça, ao contrário do que disse o senador em seu twitter, e não é uma mera disputa familiar. É uma disputa patrimonial graúda envolvendo mais 10 réus ao lado de Alvaro Dias, e quatro deles são pessoas jurídicas.

Uma das empresas ré na causa é a "AGP Administração, Participação e Investimentos Ltda.", de Alexandre George Pantazis, indicando que Alvaro Dias teve algum tipo de negócio com esta empresa envolvendo os R$ 16 milhões em questão.

Alexandre Pantazis é dono da empresa Dismaf - Distribuidora de Manufaturados Ltda. junto com seu irmão Basile, que era tesoureiro do PTB-DF.

A Dismaf foi objeto de uma reportagem da revista Veja (pág. 64, edição 2212 de 13/04/2011), acusando  a empresa de pagar propinas ao PTB sobre contratos nos Correios, no caso que deu origem ao "mensalão" a partir da gravação feita por um araponga de Carlinhos Cachoeira, que levou Roberto Jefferson a dar a entrevista em 2005. A reportagem foi baseado na denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal. Declarada inidônea pelos Correios, a empresa não podia participar de licitações, mas ganhou uma na Valec (que constrói a ferrovia norte-sul) para fornecer trilhos. O fato foi alvo de auditoria na CGU e foi um dos motivos para demissão do ex-presidente da Valec, o Juquinha.

Só uma investigação sobre os contratos e quebra de sigilo bancário poderá esclarecer o real envolvimento do senador tucano com o dono da Dismaf, .

Agora o que vai acontecer? O Alvaro Dias e seus negócios com um dono da Dismaf será capa da próxima revista Veja?

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

VIVA ZUMBI...E ABAIXO OS 'ZOMBIES'!

FELA!...O SHOW DO ANO NA BROADWAY

FEMI KUTI...O FILHO DO MESTRE FELA


O SONHO DE ZUMBI POUCO A POUCO ESTÁ SE CONCRETIZANDO


A ascensão dos negros

Por Assis Ribeiro
MAX MILIANO MELO, Correio Braziliense - 26/12/2012 
Aos poucos, a população afrodescendente conquista importantes espaços na sociedade brasileira e de outros países. Contudo, muitas distorções precisam ser superadas
Se alguém, por um motivo qualquer, tivesse passado os últimos 10 anos dormindo e acordasse no fim de 2012, certamente teria uma surpresa com o destaque dado a personalidades negras no país e no mundo. Essa pessoa veria o rosto de Barack Obama estampado na capa da revista Time, e descobriria que o homem de raízes africanas, eleito personalidade do ano pela publicação, comanda a mais poderosa nação do mundo. No Brasil, ela testemunharia os elogios frequentes feitos nas ruas e nas redes sociais a Joaquim Barbosa, e saberia que um afrodescendente preside hoje a mais alta Corte do país, o Superior Tribunal Federal (STF).
Mesmo que Obama e Barbosa possam ser considerados casos excepcionais, suas histórias estão conectadas a um movimento real — ainda que lento — de ascensão dos negros em vários países. Aos poucos, eles deixam de ser importantes apenas nas artes e nos esportes (áreas às quais pareciam limitados pelo preconceito social) e passam a influenciar os destinos da economia, da política e do pensamento mundial. Esse processo dá esperanças de que uma sociedade mais igualitária esteja se formando e, a curto prazo, tem um impacto direto na autoestima dessa população, que passa a não ter mais vergonha de assumir sua origem.
No Brasil, esse fenômeno é nítido. "Durante muito tempo, persistiu o absurdo de pessoas com a tez negra ou com os traços afros se declararem como brancas", afirma Nelson Inocêncio, coordenador do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (Neab), da Universidade de Brasília. "À medida que a situação social melhora, mais pessoas assumem sua identidade", completa. A fala de Inocêncio é amparada por dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No último censo, de 2010, pela primeira vez na história, o percentual de pessoas que se declararam de cor preta ou parda (50,7%) foi maior do que o de indivíduos que se consideravam brancos (47%).
O estudo Dinâmica demográfica da população negra brasileira, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), aponta que esse fenômeno pode ser em parte explicado pela maior fecundidade das mulheres negras em relação às brancas. Contudo, ressalta a pesquisa, é fato que houve um aumento do número de pessoas que agora se declaram pardas e que antes preferiam dizer que eram brancas.
Desafios
Apesar dos avanços, ainda há um longo caminho a ser percorrido. Embora 75% das pessoas que ingressaram na classe média nos últimos anos sejam negras, segundo dados da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, essa parcela da população ainda ganha menos, enfrenta maior desemprego e tem menor escolaridade. Ainda segundo o Censo 2010, os rendimentos mensais médios de brancos (R$ 1.538) e amarelos (R$ 1.574) são quase o dobro dos de pretos (R$ 834), pardos (R$ 845) e indígenas (R$ 735).
A realidade ainda desigual, reproduzida em maior ou menor escala em diversas outras nações, justifica a decisão das Nações Unidas de declarar os próximos 10 anos a Década das Pessoas com Ascendência Africana. Com a iniciativa, a ONU espera acelerar o processo de construção de uma sociedade mais igualitária e ajudar no reconhecimento internacional da importância do continente africano na constituição do mundo contemporâneo.
Para o antropólogo Milton Guran, pesquisador do Laboratório de História Oral e Imagem (Labhoi) da Universidade Federal Fluminense (UFF), a África vem tendo, aos poucos, esse destaque. "A presença da África no mundo, em todos os campos, será cada vez maior. O mundo ocidental não existiria sem a incomensurável contribuição dos africanos, tanto no campo econômico quanto nos planos espirituais e culturais", afirma. "O reconhecimento da África como protagonista maior da construção do mundo ocidental é um processo irreversível", completa o professor.
História
Assim, a visão eurocêntrica da história, ou seja, contada a partir do ponto de vista europeu, ganha contornos mais diversos, seja fora ou dentro do Brasil. "O país é tão negro quanto indígena e europeu. Como se diz à exaustão, é essa multiplicidade de raízes que faz a nossa força, a nossa singularidade como nação", afirma Guran. Essa diversidade vem deixando de ser um mero discurso para virar um instrumento de transformação social do Brasil. "Nas últimas décadas, temos assistido a um aumento progressivo da consciência e da ação reivindicatória dos afrodescendentes e dos povos indígenas, com um apoio cada vez mais amplo do conjunto da sociedade, apesar das resistências de setores mais conservadores."
Independentemente da cor da pele ou das origens de seus antepassados, reescrever a história do país e do mundo de maneira mais democrática é um processo que interessa a todos ."A reconstrução de uma memória coletiva — não só dos afrodescendentes diretos, mas de toda a nação — deve induzir toda a sociedade a reavaliar seus valores e preconceitos. Repensar a história da escravidão e das suas consequências é repensar toda a história do Brasil, nossa trajetória como nação", afirma Guran, que é o representante brasileiro no Comitê Científico Internacional do Projeto Rota do Escravo, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). "Hoje, temos uma memória nacional que não se sustenta completamente por subdimensionar ou mesmo deixar de lado a força positiva da contribuição dos africanos e de seus descendentes para a construção do país e da nossa identidade nacional", completa.
Assim, não faz sentido valorizar tantos aspectos ricos da cultura brasileira, como a música, a dança, a culinária, a agricultura e a engenharia sem valorizar aqueles que contribuíram de maneira direta para o desenvolvimento dessas áreas. "Mesmo com toda a violência que foi a escravidão, é inegável que ela produziu uma troca sem precedentes entre os diversos povos envolvidos nesse processo", afirma Irina Bokova, diretora-geral da Unesco. "Assim, é preciso dar um lugar mais positivo e respeitoso para o continente africano."
O segundo
Barack Obama, que já havia sido escolhido a personalidade do ano pela Time quando foi eleito presidente dos Estados Unidos pela primeira vez, é a segunda pessoa negra a receber essa homenagem nos 86 anos da publicação. A outra foi o ativista americano Martin Luther King Jr., assassinado em 1968.
DEPUTADO FISIOLÓGICO JOSÉ CARLOS ARAÚJO ESTÁ SENDO PROCESSADO PELO SEU FILHO ABAIXO. O MESMO (FILHO) DIZ NÃO SER RECONHECIDO COMO TAL...POR DISCRIMINAÇÃO SOCIAL E RACIAL; DO SUPOSTO PAI. A HISTÓRIA DESTE HONESTO TRABALHADOR: É DE DOER O CORAÇÃO DE QUEM SABE O SIGNIFICADO DA PALAVRA JUSTIÇA.

LEAM:

Bocão News - Política - Zé Carlos e seu filho ilegítimo - 27/05/2011

www.bocaonews.com.br/.../13262,ze-carlos-e-seu-filh...Compartilhar
27 maio 2011 – Zé Carlos e seu filho ilegítimo ... onde morou e o hoje deputadofederal baiano José Carlos Araújo (PDT), presidente do Conselho de Ética da ...




DE LONDRES O RESPEITADO JORNALISTA PAULO NOGUEIRA ANALISA A NOSSA MÍDIA LIXO...CONCENTRADA NAS MÃOS DE '4 FAMIGLIAS MAFIOSAS'


MÍDIA BANDIDA E SUA ETERNA LUTA CONTRA AS FORÇAS PROGRESSISTAS


Carta Maior: Até quando a sabotagem conservadora poderá resistir?

publicado em 27 de dezembro de 2012 às 13:19
por Saul Leblon, em Carta Maior

VIATURAS DA FOLHA DE SÃO PAULO - QUE SERVIAM PARA 
TRANSPORTAR PRESOS POLÍTICOS - FORAM INCENDIADAS PELOS PATRIOTAS QUE RESISTIAM À DITADURA. Hoje, quase cinquenta anos depois dessa tragédia nacional: os bandidos elitistas fascistas continuam conspirando contra o nosso 
sofrido povo.

Folha quer ser o bastião de um conservadorismo mais que nunca determinado a implodir a agenda progressista que ordena o país desde 2003.
A exemplo dos pavões do PSDB, porém, o veículo dos Frias também se pretende ‘moderno’ . Uma referência de desprendimento republicano, ‘a serviço do Brasil’.
Incompatibilidades entre uma coisa e outra são escamoteadas frequentemente abusando-se de um recurso ardiloso: o fraseado adversativo.
Basta um ‘mas’ depois das vírgulas. Pronto.
A relação de forças, os conflitos de interesses que condicionam os impasses macroeconômicos atuais, as dinâmicas condicionadas pela desordem neoliberal, o saldo dos avanços e, sobretudo, os riscos de uma ruptura tudo se dissipa e se dissolve.
O pontificado do arrasa-terra lubrifica-se nesse genial truque de um ‘mas’ depois da vírgula.
Evidências incontornáveis reduzem-se a partículas de Higgs. Por exemplo, o fato de o dispositivo midiático ser um dos escudos implacáveis do rentismo neoliberal que engessou e corroeu – e ainda corrói – as turbinas do investimento produtivo nacional.
Nada disso importa ao pasteurizador narrativo da Folha.
O truque consiste em nivelar um avanço inquestionável da década petista a um ponto não contemplado da agenda conservadora.
Passo seguinte: conclui-se que não ocorreu nada de relevante no país; nada mudou desde 2003; não houve um miserável centímetro de avanço histórico.
Escavado o buraco negro desobriga-se o foco no que foi conquistado.

Em torno do marco zero pontifica-se livremente sobre o futuro: tudo está por fazer.
O negacionismo adversativo é uma espécie de doença infantil do conservadorismo.
Como outras doenças infantis, trata-se de abduzir a realidade no complacente espaço do idealismo.

É esse o motor do editorial da Folha desta 4ª feira, sugestivamente intitulado ‘Reforma Geral’.
Ou vassourão de fim de ano.

Ou ainda, ‘chamada geral ao pacto adversativo contra o governo Dilma’.
A meta é dita com todas as letras no texto: desqualificado o presente, o futuro implica ‘mudar desde as condições de produção até as próprias prioridades nacionais”, diz o jornal.
Só isso.
Quais prioridades? 

O editorial não tem a audácia (ainda) de propor a supressão dos avanços sociais implantados no governo Lula. 

Tampouco de clamar por alguma forma velada de arrocho salarial –a começar pelo salário mínimo, quem sabe.
Mas é disso que se trata.

A restauração do projeto derrotado nas últimas três eleições presidenciais implica negar a qualquer avanço do ciclo petista o condão de um novo alicerce de desenvolvimento.
O editorial da família Frias é uma carta proposta nesse rumo. Virão outras, por certo, sempre escudadas no interesse nacional.
A cobrança por avanços sintetiza um roteiro de regressão. 

Reduzir o ciclo petista a uma montanha desordenada de corrupção e intervencionismo-estatal-populista é o que autorizaria a volta dos geniais e ímpios tucanos ao governo do país.
Essa é a marcha dos acontecimentos.

Trechos ilustrativos desse ensaio de campanha para 2013/2014, pinçados do editorial da Folha desta 4ª feira, 26-12:
“… é verdade, o governo Dilma decidiu baixar o custo da energia, ainda que de forma desastrada”


” Impostos foram reduzidos de modo relevante, mas arbitrário”.


“o conservadorismo do governo, que não vem de agora. A última novidade relevante foi o aumento do mercado interno, a partir de meados do período Lula”.


“Decerto a redução dos juros terá efeito positivo, mas ela se deveu em parte a uma conjuntura econômica mundial excepcional”.


” (o país) precisa de um programa de aceleração do crescimento, (mas ) não este da marca de fantasia do governo, mas de uma reforma que altere as condições em que se produz, a maneira de governar e as prioridades nacionais”.
Vai por aí a coisa.
A investida conservadora contra a política econômica deve preocupar não só o governo.

Ela fala diretamente também a todos que pleiteiam avanços efetivos, e mais rápidos, na estratégia de crescimento com maior justiça social.
A presidenta Dilma tem feito um pedaço do que cabe ao governo. 

Seguidos apelos aos empresários para que retomem o investimento na expansão da base industrial e logística ocorreram neste final de 2012.
Será a batalha de 2013. 

A razão pode ser resumida num dado: 40 milhõesde brasileiros saltaram da pobreza para o mercado de consumo no ciclo Lula.
O país foi pensado por uma elite que achava de bom tamanho governar para 30% da sociedade. 

A ascensão progressista mudou a escala da economia e o desenho do desenvolvimento.
A luta política atual é para adequar uma coisa a outra. Ou,do ponto de vista conservador, para retroagir uma coisa ao seu tamanho anterior.
O salto do investimento, a chamada formação bruta de capital fixo, é necessário para que o Brasil possa avançar na rota traçada desde 2003, sem gargalos de infraestrutura e de oferta que terminem por gerar escassez e custos descontrolados.
Em resumo: inflação e regressão na renda.
As empresas brasileiras estão líquidas. Há dinheiro em caixa para investir. O mesmo acontece no sistema financeiro. Há dinheiro grosso ocioso no sistema.
Desde 2008, no segundo governo Lula, medidas têm sido tomadas para induzir a transição a uma nova matriz macroeconômica.
Bancos públicos e decisões de Estado forçaram a queda dos juros (a Selic caiu 5,5 pontos em 12 meses). O câmbio ficou cerca de 14% mais competitivo.
Desonerações tributárias em valor equivalente a 1% do PIB foram autorizadas para impulsionar o investimento. 

O efeito-riqueza da farra rentista perdeu o charme. Muitas carteiras tornaram-se negativas.
Por que, então, as coisas ainda patinam a ponto de favorecer o chamamento da Folha ao pacto adversativo, a ‘reforma geral’ que incluiria “desde as condições de produção até as próprias prioridades nacionais”?
Um dos impasses consiste no fato de que o capital acostumado à liquidez rentista, associada a altas taxas de juros, recusa-se a migrar para projetos produtivos e de infraestrutura que não ofereçam vantagens líquidas equivalentes, na verdade maiores.
Há uma queda de braço no mercado.
Os capitais não querem aceitar o comando do Estado sobre os negócios propostos. 

O governo definiu taxas de retorno calculadas com base no fim da farra rentista.

O capital quer mais.
Para investir em portos, ferrovias etc cobra-se em troca um retorno superior ao do mercado financeiro atual, ademais de um plus que compense a liquidez inferior, inerente a obras de longo prazo e difícil revenda.
Estamos no olho do furacão de uma queda de braço histórica.
Os dois lados enfrentam uma contagem regressiva asfixiante. Os ponteiros do governo são ordenados pelo timing político.
A transição macroeconômica precisa ser validada em nova safra de investimentos. Ou Dilma chegará vulnerável à corrida pela reeleição.
O capital estocado nas tesourarias de bancos e empresas,por sua vez, queima como batata quente. 

Não pode dar-se ao luxo de insistir em opções de baixa rentabilidade financeira desprezando retornos –de teto superiores– colocados na pauta do desenvolvimento do país.
A teimosia tem impactos em balanços,ações e dividendos. Acionistas podem fugir. Cabeças podem rolar. A resistência à eutanásia do rentista pode redundar em fuzilamento profissional de gestores atucanados.
Até quando a sabotagem conservadora poderá resistir?
Até onde o governo Dilma pode ir para tornar os atrativos da produção inapeláveis?
Esses são os fatos que urgem e rugem por trás do editorial da Folha e de similares que devem inundar a mídia em 2013.
Não é uma queda de braços entre teimosos e cabeçudos.
Não é um problema do PT ou da Dilma.
Tem a ver com a próxima década do país. 

Com a próxima geração.

Pode ou não confirmar as possibilidades e esperanças depositadas no pré-sal. 

Pode ou não viabilizar a travessia de 40 milhões de novos consumidores em novo sujeito histórico.
O governo, o PT e as forças progressistas que pavimentaram a caminhada de 2003, até o ponto atual, precisam urgentemente repactuar as bases de sua aliança para impulsionar o passo seguinte da história.
Do contrário, a lógica conservadora terá o campo livre para agir e se materializar num poderoso pacto adversativo. 

É preciso conversar o mais rápido possível. Antes que as diferenças se transformem em distanciamento e fragmentação progressista.
Cabe ao governo Dilma a iniciativa do jogo.
Leia também:

NOTÓRIO PALADINO DA ''MORAL E DOS BONS COSTUMES'', SENADOR MADEMOISELLE ÁLVARO BOTOX DIAS: SOB A MIRA 'DUZOMI' DA LEI. A VÍBORA VENENOSA QUE VIVIA APONTANDO O DEDO ACUSADOR CONTRA SEUS DESAFETOS: AGORA NÃO SABE EXPLICAR A ORIGEM DA SUA FORTUNA MISTERIOSA



Receita Federal flagra Alvaro Dias no Imposto de Renda

Às voltas com o súbito aparecimento de uma fortuna de R$ 16 milhões, em processo de pensão, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) foi autuado pela Receita Federal por infração no Imposto de Renda.


Aliás o senador acumula 8 processos na Receita Federal. O sigilo fiscal impede de conhecermos os detalhes dos processos, mas o senador poderia explicar à Nação, perplexa com sua súbita fortuna, o que ele aprontou.

Agora, além de sonegar informações ao eleitor na declaração de bens apresentada à justiça eleitoral, o senador tem que acertar suas irregularidades com o Imposto de Renda.

Isso complica mais a situação do novo milionário do senado.

Senador milionário Alvaro Dias esteve na privataria tucana da Telepar

Em 1994 o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) disputou o governo do Paraná pelo entãoPP. Perdeu para Jaime Lerner. Sem cargo, mudou-se de mala e cuia para o PSDB. Recebeu como recompensa pela adesão ao tucanato a presidência da TELEPAR (empresa de telefonia do Paraná, quando ainda era estatal), contanto que se enquadrasse no esquema "Serjão" (Sérgio Motta) de preparar a empresa para privatizá-la. Assim fez Alvaro Dias (PSDB-PR). Assumiu a presidência em maio de 1997 e, em julho de 1998, a empresa era leiloada, arrematada no pacote da Brasil Telecom, controlado por Daniel Dantas, do Banco Opportunity e Citibank.

No momento em que o senador tucano aparece com um súbita fortuna de R$ 16 milhões, até então desconhecida, os fatos históricos nebulosos daquela privataria tucana merecem ser revisitados. É mais um bom motivo, entre tantos, para instalar a CPI da Privataria Tucana.

Veja também:
8 perguntas para Alvaro Dias: Tem cheque do Cachoeira na venda das casas?...
CASAL DE MARAJÁS FAJUTOS QUE USOU A PRESIDENTE DILMA PARA SE APARECER: AGORA VAI TER QUE EXPLICAR AO LEÃO A ORIGEM DA SUA EVOLUÇÃO PATRIMONIAL. O BLOG MNSC - EM NOME DO POVO DE MORRO DO CHAPÉU - JÁ ENTROU COM UM PEDIDO DE INVESTIGAÇÃO JUNTO ÀS AUTORIDADES COMPETENTES.
Esse é outro que vai ter que explicar ao fisco o PORQUE das suas inúmeras fazendas, casas, apartamentos etc...não aparecerem na sua declaração de bens. Outra BOMBA, É A ORIGEM DO DINHEIRO DA RÁDIO LARANJAnte FM. Aonde foi que a Madame (sua ociosa esposa que não sabe fritar um ovo e, NUNCA BATEU UM PREGO NUMA BARRA DE SABÃO) adquiriu o dinheiro para  a aquisição da tal rádio...que até O NOME É FALSO?
2013 PROMETE SER UM ANO ''CALIENTISSIMO''...PARA POLÍTICOS PICARETAS DO QUILATE DO CIDADÃO ACIMA.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012



CELEBRAÇÃO NATALINA NO LÍBANO 2012
POR RESPEITO AOS NOSSOS LEITORES\AS CATÓLICOS, POSTAMOS O VÍDEO ACIMA...APESAR DE DISCORDARMOS VEEMENTEMENTE DA ATUAL LINHA DIRETRIZ DA ICAR E, PRINCIPALMENTE; DOS PEDÓFILOS E FASCISTAS QUE A ADMINISTRA.
 É INEGÁVEL QUE O FASCISMO\NAZISMO TEM SUA ORIGEM NO OCIDENTE CRISTÃO (E NÃO EM CRISTO...QUE FIQUE CLARO); COMO É TAMBÉM  INEGÁVEL QUE, O MESMO OCIDENTE, CELEBRA A SUA SUPOSTA DATA NATALÍCIA...COMO NENHUMA OUTRA RELIGIÃO CELEBRA A DOS SEUS RESPECTIVOS PROFETAS. 

MORRO DO CHAPÉU PRECISA (TAMBÉM) DAR UM BASTA NESSES BANDIDOS


DONA CANÔ: UM EXEMPLO DE BAIANIDADE

APESAR DO SEU FILHO SER UM LACAIO DA ELITE PODRE TUCANA, DONA CANÔ SEMPRE FOI UMA MULHER AMADA E ADMIRADA PELA SUA SABEDORIA E SIMPLICIDADE: UMA VERDADEIRA DAMA DO POVO. NÃO É À TOA QUE A BAHIA E TODO O BRASIL CHORA A SUA PERDA.

DESCANSA EM PAZ DONA CANÔ!


Alguns leitores do blog do Noblat criticaram dona Canô, mãe de Caetano Veloso, por ter mandado avisar a Lula que não endossa as críticas que o filho lhe fez.

Foram injustos.

Dona Canô não é uma oportunista - pelo contrário. Ela é antiga eleitora de Lula. Nada mais razoável que manifeste sua opinião contrária a do filho.

A foto acima, de Luciano Andrade, é de 1994. Dona Canô está com um chapéu do PT e amarra no pulso de Lula uma fitinha do Senhor do Bonfim.

Naquele ano, Lula disputava a presidência da República pela segunda vez. Perdera a primeira para Collor. Perderia a segunda e a terceira no primeiro turno para Fernando Henrique Cardoso.

Derrotou Serra no segundo turno da eleição de 2002. E Alckmin no segundo turno de 2006.


COM OS FILHOS CAETANO E BETHÂNIA...DOIS ÍCONES DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA

GARIS DE MORRO DO CHAPÉU: UM EXEMPLO DE DIGNIDADE. NO NATAL PASSADO, ESSAS NOBRES TRABALHADORAS E TRABALHADORES; PASSARAM FOME...POR CAUSA DA ARROGÂNCIA DE UM DOS MAIORES LADRÕES DE DINHEIRO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA, O ATUAL PREFEITO DE MORRO DO CHAPÉU, CLEOVÁ BARRETO. O MARGINAL - QUE É ACUSADO PELO MPF DE TER DESVIADO PARA O SEU BOLSO MAIS DE R$ 2 MILHÕES ...ENTRE OS INÚMEROS CRIMES DE LÉSA-ERÁRIO QUE RESPONDE NA JUSTIÇA -, OS DEIXOU (OS GARIS) QUASE TRÊS MÊSES SE RECEBER UM TOSTÃO DE SALÁRIO. O BLOG MORRO NOTÍCIAS SEM CENSURA LHES DESEJA MUITA PAZ, SAÚDE E SUCESSO... NO ANO QUE SE APROXIMA!

Garis de Morro do Chapéu realizam confraternização de fim de ano



Na tarde de domingo, 23, foi realizado uma confraternização entre os agentes de limpeza pública de Morro do Chapéu. O evento contou com a participação de amigos e familiares sendo realizado um amigo secreto, contando com a participação de todos foi uma tarde de alegria ondeo clima de descontração prevaleceu. Desejamos desde já a todos os morrenses um FELIZ NATAL e um próspero ANO NOVO e que no próximo ano todos possamos realizar os nossos sonhos.


O CRIME ORGANIZADO SE APODEROU DAS CHAVES DO COFRE MUNICIPAL DE MORRO DO CHAPÉU. VEJAM NA FOTO ACIMA, OS SEUS REPRESENTANTES CELEBRANDO MAIS UMA TRAPAÇA; JUNTAMENTE COM O SEU PATRÃO POLÍTICO, O DEPUTADO FISIOLÓGICO JOSÉ CARLOS ARAÚJO.
CASAS, FAZENDAS, APARTAMENTOS E CARRÕES DE LUXO: EIS AQUI O DESTINO DO DINHEIRO ROUBADO DO POVO!

JOSÉ CARLOS ARAÚJO MAIS UMA VÊZ CONFIRMA AS NOSSAS AVALIAÇÕES SÔBRE A SUA ATUAÇÃO PARLAMENTAR....EM OUTRAS PALAVRAS: O SUJEITO É MEDÍOCRE; PROVADO E COMPROVADO. ATENÇÃO POVO DE MORRO DO CHAPÉU E REGIÃO...MANDA ESSE BUNDÃO SE VESTIR DE BAIANA ...E IR VENDER ACARAJÉ AQUI NA JOEL MODESTO!

O DESMORALIZADÍSSIMO DEPUTADO 

FISIOLÓGICO JOSÉ CARLOS 

ARAÚJO\ ZÉ CARAMUJO; É O PIOR (ou um 

dos piores) DEPUTADO DA BAHIA...SEGUNDO 

IMPRENSA DO EIXO RIO-SP.

50º José Carlos Araújo (PSD) – 4,1;


Três baianos aparecem no Top 20 de deputados da Veja; ACM Neto é segundo pior
Valmir Assunção e João Durval são destaques | Fotos: Ag. Câmara e Senado
Apenas um terço dos 39 deputados federais baianos obteve nota igual ou superior a 5 no Ranking Progresso da revista Veja desta semana. Entre os que pontuaram acima da média, três entraram no Top 20: Valmir Assunção (PT), na 11ª posição, com 8,1; Antônio Imbassahy (PSDB) e Geraldo Simões (PT), empatados com 7,2 na 19ª. Outros 10 ainda conseguiram destaque: Amauri Teixeira (PT), 23º com 6,8; Jutahy Magalhães Júnior (PSDB), 30º com 6,1; Antônio Brito (PTB), 34º com 5,7; Waldenor Pereira (PT), 35º com 5,6; João Leão (PP), 37º com 5,4; Cláudio Cajado, 38º com 5,3; Oziel Oliveira (PDT), 40º com 5,1, tal qual Zezéu Ribeiro (PT); Acelino Popó Freitas e Márcio Marinho (ambos do PRB), 41º com 5 pontos. Os candidatos a prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) e Nelson Pelegrino (PT), ao que tudo indica, foram "prejudicados" pela campanha. O futuro gestor soteropolitano ficou em 67º com pífios 2,4, enquanto o petista – que se licenciou do mandato na eleição – sequer pontuou. Entre os baianos, o democrata só melhor que Luiz Alberto, 75º colocado, com 1,5. Detalhe: sem critérios de desempate entre os 513 parlamentares, o ranking só vai até 84. Já no Senado, João Durval (PDT) é o 12º melhor, com nota 7,2, e Lídice da Mata aparece em 28º, com 5,2. Walter Pinheiro (PT) não foi listado. Segundo a publicação, foram aferidos nove atributos: “Carga tributária menor e sistema tributário mais simples”; “Infraestrutura”; “Qualidade da gestão pública”; “Combate à corrupção”; “Qualidade de educação”; “Marcos regulatórios estáveis aplicados com transparência por agências independentes”; “Diminuição da burocracia”; “Equilíbrio entre os três poderes”; e “Leis trabalhistas justas para empregadores e empregados”. Veja abaixo o desempenhos dos representantes da Bahia no Congresso:

DESMORALIZADÍSSIMO!!!...aqui em Morro do Chapéu; até vereador se esconde dessa figura decadente. Até recentemente, o dito cujo vivia dizendo que era o MAIS ATUANTE REPRESENTANTE do município...até aparecer o respeitado e popular vereador ADRIANO BARBOSA: para desmentí-lo. Atenção OTTO E WAGNER...mantenham distância deste cidadão DONO DE RÁDIO LARANJA, porque aqui na cidade do frio e região; a sua reputação está mais suja que pau de galinheiro.

O GOLPE BRANCO DO SÓSIA DE JÔ SOARES FOI ABORTADO...SEGUNDO O GRANDE SENADOR PARANAENSE ROBERTO REQUIÃO


REQUIÃO: BARBOSA IA PRENDER.
TEM GOLPISMO, SIM !

Como é que pode o plenário querer votar na segunda-feira e o tema voltar dois dias depois? Foi uma manobra espúria do Gurgel.
Obese People Possess Very Less Self-Control

Obese People Possess Very Less Self-Control
PESSOAS GORDAS (COMO O tuCANALHA ACIMA) POSSUEM MUITO POUCO AUTOCONTROLE...É O QUE DIZ UMA PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO SUL DA CALIFÓRNIA EM LOS ANGELES.
People suffering from obesity are incapable of resisting themselves from accessing tempting food, whereas thin people are able to restrain inclination towards unhealthy and tempting food.
A team of researchers, from the University of Southern California Keck School Of Medicine in Los Angeles, conducted a research on impulses of thin and fat people.


Amigo navegante envia de presente de Natal trechos de declarações recentes do senador Roberto Requião:

É evidente que o julgamento (do mensalão) tem um caráter ideológico. Isso ficou claro nas declarações do Celso de Mello e do meu amigo Marco Aurélio, que andou até elogiando a ditadura militar. 

Não existe vácuo de poder. Como o Congresso não exerce o seu papel, o Judiciário avança.

Veja o caso do Fux, que decidiu que o Senado não pode inverter a ordem dos vetos. Se essa lógica valesse para o STF, não poderiam inverter os mensalões. Teriam que começar com o mensalão mineiro, dos tucanos.

E se a Justiça funcionasse no Brasil, nem teria havido o mensalão petista. Os operadores teriam sido presos antes. O mensalão tucano era de 1998. O Lula chegou ao poder em 2002 e o escândalo é de 2005.

E o que o Fux fez foi travar o Congresso inteiro. Hoje, o Judiciário tutela o Legislativo.

A Constituição é claríssima. ( O Fux) trancou tudo. Vão votar o orçamento depois do Natal, mas nem isso deveria acontecer depois da liminar do Fux.

A vontade do Barbosa era prender, mas se fizesse isso seria expulso do STF pelo plenário ou pelo Congresso.

Como é que pode o plenário querer votar na segunda-feira e o tema voltar dois dias depois?

Foi uma manobra espúria, feita pelo procurador-geral Roberto Gurgel. A meu ver, ele deveria ser convocado para se explicar e essas convocações são coisas corriqueiras, da democracia.

O problema é que o Congresso não se levanta contra nada. Não estamos conseguindo votar nem o direito de resposta. Todos têm rabo preso, são acovardados.

Lá em Honduras, alguns ministros da suprema corte foram cassados e eu soube que o Joaquim Barbosa fez um pedido de explicações para entender como foi isso.

A gente nunca acha que é possível até o dia em que acontece. Aconteceu no Paraguai e em Honduras. O Brasil é diferente? É. É bem mais forte. Mas que existe um golpismo, existe.

A mídia defende, em linhas gerais, uma ideologia privatista. O moralismo é de ocasião, não por princípios. São moralistas apenas quando o moralismo atende a seus interesses. Eu era um alvo permanente porque cortei as verbas publicitárias. Mas hoje existe a internet.