quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

A PERSEGUIÇÃO FASCISTA FEZ A SUA PRIMEIRA VÍTIMA: DESCANSA EM PAZ, D. MARISA!


Marisa, uma brasileira

Ricardo Stuckert/Instituto Lula
"A morte de dona Marisa Letícia é a síntese dolorosa da força do ódio inoculado nas veias do Brasil nos últimos anos contra o PT, contra ela, Lula e a família, contra tudo o que representaram desde 2003. Sua ausência na vida do ex-presidente terá consequências pessoais e políticas, mas haverá tempo para falar de Lula sem Marisa", escreve Tereza Cruvinel, em um texto em homenagem à ex-primeira-dama; Tereza atribui a expansão do aneurisma de Dona Marisa, que era inofensivo há dez anos, ao "martelar constante das injúrias, implicâncias, achincalhes, preconceitos e, finalmente, da perseguição implacável contra os Lula da Silva, indiciados e denunciados sem provas para evitar banir o ex-presidente da política"; "Não é preciso dizer agora o nome de ninguém. Os mais insanos podem ter celebrado, mas alguns não devem ter dormido em paz esta noite", diz a colunista

Freixo condena onda fascista na morte de Marisa


"Amor não é para termos só entre os iguais. Solidariedade não é para termos só entre os iguais. Sobre a morte de Marisa", postou o deputado Marcelo Freixo, do Psol, em seu Facebook; no vídeo, ele condena fascistas que celebraram a morte da ex-primeira-dama

MUNDO

A mensagem do papa Francisco a quem celebra a morte alheia

:
Uma frase atribuída ao papa Francisco ganhou as redes sociais nesta quinta-feira 2, após a notícia da morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia e, com ela, a onda de mensagens de ódio contra a esposa de Lula
Colunista

O assassinato de Dona Marisa

Renato Rovai
A morte de Dona Marisa Letícia não foi natural. Ela foi sendo assassinada aos poucos por um conluio, cujo pilar foi a mídia tradicional com destaque ultraespecial às Organizações Globo, à grande maioria do Judiciário envolvido nas investigações da Lava Jato e a uma classe política corrupta que se lambuzou em acusações sem provas contra ela e sua família
Colunista

Tenho pena dos que comemoram a morte de Marisa Letícia

Washington Luiz de Araújo
Tenho pena de um juiz que, criminosamente (vejam bem, um juiz praticando crime impunemente e chamando para si o crime) que vazou, para a malfadada Rede Globo, gravações telefônicas, expondo às feras Marisa Letícia, Lula e Dilma. Tenho pena dos jornalistas que emprestam cérebros deturpados, mãos e falas para a causa do golpe e dos golpistas. Todos estes contribuíram, sim, para a morte de Marisa Letícia
Colunista

Dona Marisa

Lelê Teles
Dona Marisa é vítima de um crime premeditado, foi tragada por uma tsunami de intrigas, mentiras e achincalhes. Desde que o marido chegou ao planalto, as forças reacionárias agarram o pescoço de Dona Marisa com as duas mãos, só soltaram agora. Morreu de morte matada. É bom que se diga
Colunista

Marisa morreu... Façam vossas festas!

Ângelo Cavalcante
Celebrem, faças vossas festas! Vocês não estão errados e tem toda a razão para celebrar! É que Marisa de fato, era e continua sendo força, raça e gana e sem suas mãos costureiras, seus olhos atentos, sua delicadeza e tudo isso combinado os trabalhadores não teriam incomodado tanto os poderosos desse país continental
Colunista

Brilha uma estrela

Luciana Oliveira
Dona Marisa se despediu da vida lutando, não ao lado de um homem, mas de um povo. E não importa se todos compreenderam e gostaram do que ela fez, do que deixou. Importa que ela viveu intensamente pelo acreditava. Não sonhou só, sonhou junto
Colunista

O legado da guerreira

Chico Vigilante
Em cada ato de Marisa, fosse erguendo bandeiras em comícios, fosse representando o Brasil como a primeira-dama discreta e elegante que foi, esteve presente a marca da guerreira, dona dos abraços carinhosos e das palavras sábias que foram fundamentais para Lula persistir na luta


Nenhum comentário: